Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

More than words.

More than words.

Rebel life (1)

 

"Estás a ficar santinha é?"

Kevin, Madeleine, Ryan e Rachel podiam ser apenas quatro nomes e quatro pessoas entre tantas outras no mundo, mas não são. Eles querem ser diferentes, marcar a diferença deixando sempre um pouco de si por onde quer que passem, não é por motivos bons que eles querem isso mas sim através de actos de rebeldia. Para eles a vida são dois dias, e um já passou.

 

Uma pequena loja de conveniência foi vandalizada à apenas um dia atrás, os autores de tal acto não foram vistos e a polícia continua a sua procura apesar de acharem difícil sem haver provas em concreto. Nada na loja desapareceu podendo assim afirmar-se que foi apenas um acto de rebeldia, mais um entre os tantos que têm havido na cidade.

 

Ryan estendeu o jornal local para as raparigas mostrando-lhes a notícia com um sorriso rebelde estampado no rosto.

- Somos mesmo bons. – exclamou Kevin passando o seu cigarro ao amigo que deu uma baforada no mesmo. As raparigas juntaram-se ao lado uma da outra quando Madeleine pegou no jornal e prenderam o olhar na notícia que tinha mais destaque naquela página.

Rachel levantou o olhar para os rapazes que se mostravam bastante divertidos com aquilo tudo. – Foram vocês não foram? – perguntou apesar de saber que sim.

- Claro que sim. – Ryan riu-se e deu um empurrão a Kevin que começou a rir-se às gargalhadas.

- Não acham que exageram um bocado desta vez? – perguntou Madeleine dando uma última vista de olhos à notícia, abanou a cabeça olhando para os rapazes. Gostava daquelas coisas que faziam, divertia-se muito já para não falar de toda a adrenalina que passava pelo seu corpo. O medo de serem apanhados era uma constante naqueles momentos mas era isso que lhe dava mais vontade de continuar.

Kevin revirou os olhos e atirou o cigarro para o chão apagando-o com o pé. – Porquê? – perguntou franzindo um pouco a testa.

- Porque foram sem nós. – gozou Rachel desatando a rir-se e enrolou o jornal.

Madeleine olhou para a outra rapariga e suspirou. – Porque está no jornal, mais uma vez. – retorquiu. Já não era a primeira vez que aquelas coisas que eles faziam apareciam no jornal e aquilo não era nada bom, só fazia com que mais pessoas soubessem daquelas coisas e a probabilidade se serem apanhados aumentava.

- Estás a ficar santinha é? – perguntou Ryan fitando a rapariga loira que lhe fez uma careta.

- Não Ryan, mas sabes muito bem que assim corremos mais riscos de sermos apanhados. – abanou a cabeça e encostou-se contra o muro que ladeava aquela rua apenas iluminada por um velho candeeiro já meio fundido.

- Nunca vamos ser apanhados. – retorquiu Kevin por sua vez com um encolher de ombros. – Nós temos cuidado, por muito que a polícia procure nunca vão encontrar nada. – fitou o chão e pontapeou uma pequena pedra que se encontrava no seu caminho.

Todos viraram o rosto na direcção onde aquela rua começava quando ouviram um barulho e remeteram-se ao silêncio permanecendo assim durante um bocado na esperança de que ninguém aparecesse. O que menos precisavam era de alguém a ouvir as suas conversas nada próprias para os ouvidos de outras pessoas.

- Vamos para o armazém. – murmurou Kevin num tom de voz baixo mas autoritário para que apenas os amigos o conseguissem ouvir.

 

Por detrás dos grossos pinheiros e dos densos ramos de vegetação havia um velho armazém abandonado há já alguns anos, era de estrutura média, nem muito grande nem muito pequeno, e o grupo de amigos sabia que nunca ninguém ia ali, a não ser eles… Há uns tempos que por vezes aquele armazém era um ponto de encontro entre eles, onde podiam falar sobre tudo e mais alguma coisa sem terem medo que alguém os pudesse ouvir.

Madeleine afastou com um suspiro uns ramos do seu caminho e por fim avistou o armazém, Kevin, Ryan e Rachel seguiam atrás dela. Tinham feito aquele percurso todo em silêncio pois o medo de serem descobertos falava sempre mais alto para além de que não queriam que ninguém desse com aquele armazém. Era deles e um dos poucos sítios onde podiam estar em sossego e não suportavam a ideia de ficar sem aquele “porto de abrigo”.

A rapariga loira afastou-se quando chegou à entrada do armazém dando espaço a Kevin para que ele abrisse a enorme porta, estava velha e perra e as raparigas não tinham força suficiente para a conseguir abrir.

- Feito. – disse o rapaz quando a porta cedeu facilmente ao seu empurrão. Entraram todos dentro do armazém e Rachel atirou-se logo para um dos pequenos sofás, pôs-se de lado no mesmo fazendo as pernas ficarem sobre um dos apoios e balançou-as enquanto os outros se acomodavam por ali: Madeleine num outro sofá assim como Ryan, já Kevin optou por se sentar no chão.

Apesar de o armazém ser velho o grupo de amigos tinha tentado dar um toque mais pessoal àquele espaço, os rapazes tinham arranjado alguns sofás que tinham encontrado abandonados, segundo o que eles tinham dito. As raparigas encarregaram-se de outras coisas como da parte da limpeza e de alguma decoração para dar mais vida àquele lugar. As paredes outrora velhas e sujas tinham sido pintadas por eles, não passavam de rabiscos no entanto já não pareciam em tão mau estado.

- Eu avisei que temos de ter cuidado. – retorquiu Madeleine depois de todos permanecerem em silencio durante algum tempo. – Avisei montes de vezes. – passou os dedos pelos seus longos cabelos loiros deixando depois que estes caíssem livremente pelas suas costas.

- Ainda não fomos apanhados pois não? – perguntou Ryan olhando na direcção da rapariga e revirou os olhos. – Não comeces com essas coisas Mads, sempre fomos assim e não vamos mudar. – retorquiu.

A rapariga revirou os olhos. – Não estou a dizer isso, só acho que é desnecessário dar demasiado nas vistas e aparecer no jornal.

- É apenas um jornal local, praticamente ninguém o lê. – disse Kevin e levantou-se do chão, não se dava muito tempo parado pois o seu corpo necessitava de movimento. Foi até um saco de boxe que ele e Ryan tinham pendurado no meio do armazém e começou a soquear o mesmo enquanto os amigos continuavam a falar.

Madeleine olhou para o seu relógio de pulso que já marcava as quatro da manhã e suspirou.

- Está na minha hora e já vou ter de subir pela janela. – disse a rapariga, infelizmente tinha uns pais severos demais ou que apenas se preocupavam com ela, e por isso tinha de sair e entrar em casa às escondidas todas as noites para poder estar com os amigos.

- Menina da mamã. – gozou Kevin olhando-a de relance e sorrindo ao mesmo tempo que continuava com os socos no saco.

- Não me chateies. – resmungou a rapariga levantando-se do sofá. – Até amanhã. – despediu-se dos amigos com um sorriso.

- Amanhã é sexta. – retorquiu Rachel com um sorriso e a promessa que aquele dia trazia: estariam juntos mais uma vez.

15 comentários

Comentar post

Pág. 1/2