Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

More than words.

More than words.

Rebel life (13)

"Acho que não estamos aqui sozinhos…"

- O que é que ele vai fazer? – perguntou logo Ryan, era alguma coisa grave pela cara com que a rapariga estava. Rachel aproximou-se mais deles para poder falar baixo, não convinha mais ninguém ouvir aquilo.

- O meu pai quer matar o lobo. – disse a rapariga. Os outros olharam para ela boquiabertos.

- Mas ele é louco ou quê?! – perguntou logo Kevin de olhos arregalados, abanou ligeiramente a cabeça e afastou-se um pouco do grupo até ficar encostado a um dos muros daquele beco.

Madeleine ainda estava de olhos arregalados. – Isso é completamente estúpido. – retorquiu.

- Pode ser uma coisa boa… - disse Ryan um pouco baixo, andava todo assustado com aquela criatura por isso se o pai da Rachel o matasse não ia ter de se preocupar mais com aquele assunto.

- Não sejas estúpido Ryan, já pensaste na confusão em que ele se vai meter? – perguntou Rachel e suspirou, odiava o pai e tudo o mais por isso queria que ele deixasse aquele lobo em paz e apenas se fosse embora para Nova Iorque, seria assim tão difícil de entender?

- Temos de o impedir. – disse Kevin que se tinha mantido praticamente em silêncio até então. Os outros concordaram, quer dizer, as raparigas concordaram porque Ryan queria que o lobo fosse morto.

Rachel explicou a conversa que tinha ouvido entre o pai e um outro homem naquela manhã, tinha-o visto na rua por acaso e depois de ver a discussão que parecia haver entre os dois homens tinha-se aproximado o suficiente para conseguir ouvir. Pelo que tinha entendido ia chegar material que ajudaria John a fazer o seu trabalho, havia uma casa meio abandonada nas redondezas da cidade e era ali que o material ia ser deixado ainda naquele dia. Era composto por armas potentes entre outras coisas vindas directamente de Nova Iorque, o pai tinha tudo aquilo que queria e bastou-lhe uns telefonemas para ter tudo combinado. A coisa mais estúpida de tudo e que Rachel achava ter entendido bem era o facto de John querer fazer aquilo sozinho, tinha a desculpa de as armas serem fortes o suficiente e que isso bastaria para matar aquela enorme criatura, no entanto Rachel sabia que o propósito do pai era outro. Ele queria apenas destacar-se, ficar “famoso” por ter morto o lobo, se conseguisse a sua imagem ia estar em todos os jornais, não só ali na cidade mas também em Nova Iorque onde ele tinha grandes empresas, tudo aquilo era apenas para ficar conhecido e conseguir assim aumentar o seu negócio lá na grande cidade e talvez pelo mundo.

-Temos de fazer alguma coisa. – disse Kevin quando a loira acabou de contar tudo aquilo que sabia.

- Podemos tentar descobrir onde é essa casa e ir lá tirar esse tal material. – retorquiu Madeleine olhando para eles. – Sem o material ele não pode fazer nada. – encolheu os ombros quando os outros não pareciam muito convencidos com aquela sugestão.

- Acho que sei onde é essa casa. – disse Ryan mordendo o interior da bochecha, conhecia algumas casas abandonadas naquela cidade, mas apenas uma estava afastada dali e de certeza que seria essa. O pai de Rachel não devia querer dar muito nas vistas pois isso só iria estragar o seu plano.

Os amigos não esperaram mais e seguiram Ryan para a tal casa abandonada, segundo Rachel o material iria chegar naquele dia, o mais certo era não ter chegado ainda mas de certeza que não tardaria a que isso acontecesse e eles iam estar lá para se porem a par de todas as novidades que pudessem surgir. Quando a casa ficasse livre então iriam tratar de tirar dali as coisas para assim impedir que John fizesse algo.

*

John conduziu o seu carro até à casa abandonada que lhe tinham dito que seria o local ideal para depositar o material, estava satisfeito como tudo e sabia que nada iria correr mal. No final quando o lobo caísse morto no chão aos seus pés ia ser considerado um herói por toda a população que habitava aquela pequena cidade. Estacionou o carro no pequeno matagal que rodeava aquela casa completamente degradada pelo passar dos anos, saiu do veiculo e empurrou o enorme portão, estava demasiado velho por isso cedeu facilmente. As janelas da casa estavam todas com os vidros já partidos e as portas provavelmente não estariam em muito bom estado, mas isso era indiferente. O material não iria ficar ali por muito tempo pois John pretendia agir o mais rapidamente possível, além disso ninguém iria àquele lugar sem motivo algum para isso. Afinal era uma casa abandonada e supostamente toda a gente pensaria que era assombrada.

 

O grupo de amigos manteve-se o tempo todo escondido pela vegetação que rodeava a casa e que os mantinha escondidos, viram o pai de Rachel chegar e mais tarde viram um camião parar em frente à casa. Saíram de dentro do mesmo dois homens que começaram a descarregar o material e a levá-lo para dentro da casa sempre com as instruções do pai da Rachel que devia estar todo orgulhoso do que ia fazer.

Rachel sentia cada vez mais nojo de ser filha daquele homem.

Uns minutos mais tarde os homens meteram-se de novo dentro do camião e partiram, provavelmente já todo o material estava dentro da casa. Deixaram-se ficar ali escondidos e sempre em silêncio até verem o pai de Rachel ir também embora dali.

- Podemos ir. – murmurou Ryan quando o barulho do carro deixou de se ouvir. Kevin foi o primeiro a sair de detrás das enormes árvores, Madeleine e Rachel saíram atrás dele e depois foi a vez de Ryan. Caminharam em silêncio até à casa, o enorme portão de entrada tinha ficado aberto, John não se tinha sequer preocupado com isso, entraram todos lá dentro e uns segundos depois estavam no interior da velha casa. Estava um pouco escuro pois a única claridade existente era aquela que entrava pelas janelas agora sem vidros.

- Está aqui tudo! – exclamou Kevin quando entrou numa pequena divisão, o chão estava coberto de armas da mais alta tecnologia, com aquele material todo John não ia mesmo ter dificuldades em ver o seu plano ser um enorme sucesso.

- É doido. – disse apenas Madeleine de sobrolho franzido e olhou para Rachel que apenas abanava com a cabeça.

- Vamos mas é tirar esta porcaria toda daqui. – retorquiu Ryan mas mal estas palavras saíram da sua boca começaram a ouvir o barulho de passos.

- Acho que não estamos aqui sozinhos… - murmurou Kevin dando um pontapé numa coisa qualquer que estava para lá no chão.

Era demasiado bom que John tivesse deixado as coisas assim ali sem protecção nenhuma e onde alguém as pudesse encontrar, era óbvio que tinha pensado em tudo. Os passos aproximaram-se mais e depois ouviram uma voz.

- Por aqui! – disse Ryan e começou a correr saindo pela outra porta que aquela divisão continha, os outros seguiram-no cheios de medo de serem vistos, se John soubesse que estava ali alguém, ou melhor, se soubesse que era Rachel e os amigos quem estava ali passava-se todo. Correram até uma pequena janela no andar de baixo, Ryan saltou pela mesma e depois de Kevin fazer o mesmo ajudaram as raparigas a sair também pela janela. Começaram de novo a correr e não olharam mais para trás até se embrenharem na floresta onde sabiam que já ninguém estaria atrás deles.

 

Apesar de ainda faltar para esta história acabar queria começar a pensar já em algumas ideias para uma nova. Mas ando mesmo sem ideias nenhumas :/ se tiverem alguma ideia podem dizer. Queria alguma coisa diferente, não sei.


ps: Vou responder aos vossos comentários do capítulo anterior aqui no meu blog, apenas hoje. Daqui para a frente responderei nos vossos. Beijinhos

10 comentários

Comentar post