Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

More than words.

More than words.

Rebel life (14)

"És tu o lobo?"

- Ele vai conseguir aquilo que quer. – murmurou Rachel quando por fim estavam completamente a salvo de serem apanhados por alguém. – Como sempre. – acrescentou com um revirar de olhos. Era óbvio que conseguia, e isso era demasiado nojento.

Madeleine suspirou e deitou a cabeça para trás no sofá. – E vai ser esta noite provavelmente.

- Não é provavelmente. É mesmo esta noite. – disse Rachel, tinha ouvido a conversa do pai e este tinha especificado que seria esta noite, o mais rápido possível.

- Não vale a pena pensarmos sequer nisso nem nos meter-mos. – retorquiu Kevin por sua vez. Os outros concordaram. Por muito que gostassem de confusões esta era uma daquelas em que era melhor manterem-se longe antes que acabassem magoados a sério. O pai de Rachel que fizesse aquilo que bem entendesse, eles já tinham tentado a sua parte e não tinha dado certo, por isso o melhor era manterem-se afastados.

- Isso vai dar confusão. – retorquiu Ryan que se tinha mantido calado o tempo todo. Os amigos sabiam bem o quanto este assunto o afetava, desde aquele seu encontro com o lobo à umas semanas atrás que o rapaz vivia com medo do que poderia acontecer-lhe.

*

A lua começou a ser visível no céu depois de o sol se pôr e a escuridão começar a surgir chegando assim mais uma noite. A noite em que John ia fazer aquilo que andava a planear já à alguns dias.

- Está tudo pronto? – perguntou saindo do seu veiculo ao pé da casa abandonada onde se encontrava todo o material. O homem que tinha vindo de Nova Iorque em especial para tomar conta das armas assentiu com a cabeça e optou por não contar a John os barulhos que tinha ouvido durante a tarde. Não iam adiantar nada, apenas enfureceriam o homem para além de que talvez ele apenas tivesse imaginado os barulhos na sua cabeça.

John caminhou em passos apressados por o interior da casa sendo seguido pelo homem, juntos começaram a tirar as armas para fora e a colocá-las de seguida dentro do carro de John. John pertendia levar o seu carro até um local próximo de onde as pessoas daquela cidade tinham dito ter visto o lobo, assim era mais fácil pegar no material assim que este fosse necessário.

Olhou o seu relógio que marcava quase a meia noite e depois de pagar ao homem uma boa quantia de dinheiro e entrar no seu carro dirigiu-se para a cidade.

A cidade encontrava-se deserta aquelas horas da noite, o que era melhor, quantas menos pessoas menos confusão para o seu lado e mais rápido e facilmente conseguiria levar avante o seu trabalho.

Deixou o carro num sítio meio escondido pelas casas que se encontravam ali e tirou uma das armas de dentro da mala, era pequena por isso colocou-a à cintura e pegou depois numa outra, que lhe tinham dito ser das melhores, e empunhou-a nas suas mãos. Sorriu para si completamente satisfeito por ter conseguido planear tudo aquilo às escondidas e longe dos olhos das pessoas curiosas.

Virou-se para trás quando uns escassos minutos depois começou a ouvir uns barulhos e escondeu-se atrás de uma árvore, tinha o tronco suficientemente grosso para esconder o seu corpo.

 

O lobo caminhou em passos lentos pela rua, sabia que John estaria ali algures à sua espera para o matar. Sabia de tudo o que este estava a planear e isso era uma enorme vantagem para si, o facto de o homem não contar com nada daquilo tornava-se também uma outra vantagem. Ele não pretendia desperdiçar essas vantagens e queria usá-las a seu favor. Inspirou o aroma que chegava até ele e por entre os vários que conseguia distinguir o de John era um deles. Estava perto, demasiado perto. Avançou lentamente até uma das várias árvores que ali estavam e de repente o homem saiu de detrás de uma delas apanhando-o quase de surpresa. O lobo rugiu e caminhou um pouco para trás ao ver a arma que John tinha apontada para si.

- Estás tão morto. – retorquiu o homem abanando com a cabeça e fazendo um sorriso muito cínico. Avançou para o lobo mas quando o fez o lobo rodou aparecendo atrás dele o que fez ficar irritado. – Nem penses que te vais safar desta. Amanhã não vais existir mais e eu… eu vou ser considerado o melhor dos melhores. – riu-se fazendo o seu riso ecoar por toda a rua deserta.

Quando se preparava para apertar o gatilho e disparar aquela arma o lobo saltou para cima do muro que tinha uns bons dois metros a mais que o homem, este abanou a cabeça e disparou a arma fazendo a bala passar ao lado do lobo que já se tinha afastado de novo e estava novamente à sua beira.

John começava a ficar irritado com tudo aquilo, pensava que seria bem mais fácil. Pretendia encontrar o lobo disparar a arma e ver o animal cair logo morto no chão. Mas isso estava a mostrar-se mais difícil do que o previsto, o animal estava a mostrar-se inteligente o que confirmava aquilo que as pessoas diziam de ser um lobisomem. Olhando para o seu porte via facilmente que era maior do que qualquer lobo que já tinha visto, as suas feições eram um pouco diferentes em tudo e os olhos tinham um lado humano escondido bem lá no fundo. Fitou aquela boca que ainda rugia na sua direcção e quando ia disparar mais uma vez o lobo saltou para cima do seu corpo. Tentou debater-se debaixo de todo aquele peso que o estava a prender ao chão e manejou a arma pondo-a pronta para tentar disparar. Quando por fim a disparou numa parte ao acaso do lobo viu este rugir de dor e perder um pouco das suas forças. No entando no instante seguinte os olhos amarelados do lobo foram espelhados por um tremendo ódio e raiva, este investiu de novo sobre John e não tardou a que os pensamentos do humano se perdessem quando a sua mente ficou vazia.

 

Madeleine não tinha aguentado ficar em casa depois de os pais terem discutido com ela, quando conseguiu subir para o seu quarto abriu a janela e fugiu para a rua. Precisava de estar sozinha e parar de ouvir as vozes dos pais ainda a falarem no andar debaixo.

Franziu a testa quando ao caminhar por uma das ruas não muito longe dali viu algo estranho surgir no seu campo de visão. Era o lobo, ela arregalou os olhos quando isto lhe surgiu na cabeça. Era enorme tal como Ryan havia dito. Engoliu em seco e viu o animal cair de repente no meio do chão, no instante seguinte no lugar onde o lobo estava tinha surgido um corpo. Do local onde Madeleine estava conseguia perceber que se estava a mexer e provavelmente a contorcer-se de dores. Começou a andar na sua direcção, podia estar a ser muito estúpida e a pôr a sua vida em risco ao fazer aquilo mas os seus pés pareciam estar a comandar todo o seu corpo e não conseguia parar. Percorreu aquele corpo nu com o olhar, tinha uma das pernas quase coberta de sangue que se espalhava pelos sítios por onde a sua mão tinha passado, deixando assim um rasto do mesmo por todo o corpo. Estava todo encolhido numa bola e o seu corpo tremia, estava molhado devido aos suores frios que lhe trespassavam o corpo. Sem querer fez um barulho mínimo e aquele rosto virou-se ligeiramente na sua direcção.

- Tu!? – perguntou de olhos arregalados, apesar de estar escuro conseguia ver perfeitamente. – És tu o lobo?



Como já devem ter percebido (no fim de lerem este capítulo) no próximo irão finalmente saber quem é o lobo! Quem acham que é?

Beijinhos, obrigada por lerem e espero que estejam a gostar!

13 comentários

Comentar post