Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

More than words.

More than words.

Rebel life (16)

"Tu estás a gozar não estás?"

- O que aconteceu? – perguntou Ryan entrando dentro do armazém e sendo seguido por Rachel que vinha logo atrás dele. Os dois pararam já perto do sofá onde os outros dois se encontravam sentados e viram os olhares estranhos que trocaram um com o outro.

Kevin engoliu em seco e perdeu toda a coragem que tinha ganho durante a noite, como é que eles iriam reagir a uma coisa daquelas? O rapaz tinha medo de estar a pôr em causa aquela amizade que já durava à anos.

- Temos uma coisa para vos contar. – decidiu Madeleine dizer. – Quer dizer, o Kevin é que tem.

Rachel abriu muito a boca e depois tapou a mesma com as mãos. – Vocês namoram?? – perguntou.

Os outros três arregalaram os olhos ao mesmo tempo que Kevin e Madeleine abanavam negativamente a cabeça.

- Onde é que foste buscar essa ideia? – Madeleine fez uma cara toda confusa e revirou os olhos.

- Sei lá, vocês estão os dois estranhos. – a rapariga sentou-se no sofá depois de afastar uma almofada que estava em cima do mesmo.

Ryan permaneceu de pé. – Podem dizer de uma vez por todas o que se está a passar? – perguntou já a ficar todo impaciente.

Kevin respirou fundo. – Eu sou o lobisomem de que todos andam a falar… - murmurou num tom de voz um pouco mais baixo que o habitual. Olhou para o rosto dos outros dois tentando perceber a reacção de ambos ao que acabava de dizer.

- O quê Kevin?? – Ryan gritou completamente passado, como podia aquilo ser verdade depois de tudo o que já tinha acontecido? – Tu estás a gozar não estás? – perguntou.

- Diz que estás a gozar… - disse Rachel que tinha ficado tão chocada com aquilo que acabava de ouvir que nem era capaz de falar ou formular o que quer que fosse.

O outro abanou a cabeça negando. – Não. – suspirou. – Eu sou o lobo, eu não podia dizer a ninguém que era eu nem mesmo a vocês. Desculpem. – levantou-se e começou a andar de um lado para o outro. – Isto era um segredo que eu devia manter… para sempre… - sussurrou. Nem estava a acreditar que lhes estava a contar aquelas coisas e o pior ainda estava para vir. Mas mais valia dizer logo tudo de uma vez. Virou-se de frente para os amigos que estavam à espera que ele falasse mais alguma coisa e ele assim o fez. Contou-lhes tudo o que aconteceu na noite anterior e olhou para Rachel antes de dizer que o seu pai tinha morrido e que tinha sido ele o autor desse acto.

- Espera… tu mataste o meu pai? – perguntou a rapariga. Estavam a ser coisas demais para ela digerir e aquilo era tipo a cereja no topo do bolo, mas não de uma forma positiva.

- Sim. – disse Kevin baixando o olhar. – Desculpa Rachel, sei que não o devia ter feito mas se não o matasse ele ia acabar comigo. – suspirou. – Não podia deixar que ele fizesse isso. – acrescentou.

- Preciso de ficar sozinha.  – disse a rapariga e antes de os outros terem tempo de dizer alguma coisa ela levantou-se do sofá e num passo apressado saiu do armazém.

Ryan olhou para a porta assim como os outros. – Vou ter com ela. – disse. – Depois falamos. – levantou-se e saiu atrás da amiga.

- Eu já sabia que isto ia acontecer. – Kevin deixou-se cair no sofá e escondeu a cara por entre as mãos. Ainda tinha muito a explicar-lhes, como por exemplo, contar-lhes como tudo isto de ser lobisomem tinha começado. Certamente os outros iriam querer saber todas essas coisas. No entanto agora era preciso deixar Rachel sozinha para que a rapariga se acalmasse e digeri-se tudo aquilo.

*

- Rachel. – Ryan agarrou no braço da rapariga fazendo-a parar de andar. Ela suspirou olhando-o no entanto deixou-se ficar quieta sem nenhuma tentativa de fugir dele.

Ainda se encontravam no meio da floresta, não muito longe do armazém e o rapaz puxou-a com ele para um tronco que estava caído no chão. Sentou-se e a rapariga sentou-se ao lado dele.

- Não acredito no que está a acontecer… - murmurou ela com um longo suspiro.

Ryan abanou a cabeça. – Nem eu. – ainda nem tinha tempo de pensar sobre tudo aquilo. Puxou-a para si e abraçou-a pelos ombros. – Acho que não temos de ficar chateados com o Kevin apesar de tudo. Provavelmente se um de nós estivesse no lugar dele, iriamos fazer exatamente o mesmo. – encolheu os ombros e viu a rapariga assentir com a cabeça.

- Eu sei. Só que… sei lá, é estranho pensar em tudo isto… e o meu pai… - baixou o olhar, tinha medo de dizer em voz alta que na verdade não se importava que o pai estivesse morto, era muito melhor para ela e para a mãe além de que assim não teria de ir viver para Nova Iorque. Ela não gostava do pai, ele já a tinha magoado bastante e á mãe quando lhe batia no tempo em que ainda eram casados. Podia ter matado a mãe assim como agora o poderia ter feito com Kevin, um dos seus melhores amigos. Decidiu manter-se calada, não valia a pena saberem disso pois não queria parecer uma pessoa fria por estar contente por o seu pai estar morto.

Deixou-se ficar calada a Ryan fez o mesmo, apertou-a mais para si e ficaram os dois ali apenas a pensar em todos aqueles acontecimentos. Mais tarde iriam falar de novo com Kevin pois de certeza que este ainda tinha muitas coisas para lhes contar.

*

- Vou para casa. – disse Madeleine ao fim de uns minutos a tentar acalmar Kevin. Já não aparecia em casa desde a noite anterior e os pais já deviam andar passados à sua procura. Não queria mais problemas do que aqueles em que já estava metida.

- Eu também vou. – murmurou Kevin, precisava de ir para casa e estar um bocado sozinho. Além de que tinha muito em que pensar e uma coisa era que não podia deixar que mais ninguém descobrisse que ele era o lobo, iam haver muitos problemas caso fosse descoberto pelas pessoas da cidade. Um dos problemas era que talvez o metessem atrás das grades por ter morto uma pessoa, e isso era coisa que ele não queria que acontecesse. – Obrigado por tudo. – fitou a rapariga que se encontrava ao seu lado.

Madeleine encolheu os ombros e acabou por se levantar. – Não tens de agradecer, tenho a certeza que farias o mesmo por mim ou por qualquer um de nós. – sorriu-lhe levemente e levantou ligeiramente a cabeça para olhar para Kevin assim que este também se levantou.

- Sim, faria isso por todos vocês. – puxou-a abraçando-a com força. – Sinceramente, não sei o que seria da minha vida sem vocês ao meu lado.

A rapariga pôs os braços em volta do corpo dele abraçando-o também. – Não sejas lamechas Kevin. – não conseguiu evitar rir-se um pouco e depois levou com uma cara má por parte do rapaz. – O que foi? Estás aí todo coisinho. – riu-se mais.

- Goza comigo, goza. – ele semicerrou os olhos e despenteou-lhe os longos cabelos loiros. – Até amanhã. – despediu-se dando-lhe um pequeno beijo na bochecha.

- Até amanhã oh lamechas. – Madeleine riu-se e fugiu para o exterior do armazém antes que o rapaz a conseguisse apanhar e se vingasse do que ela lhe tinha chamado.

 

Já consegui escrever mais desta história, felizmente! Irá ter 20 capículos, sendo que assim faltam apenas quatro.

Já ando a ter ideias para uma próxima fic!

Beijinhos

7 comentários

Comentar post