Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

More than words.

More than words.

My universe [dois]

Depois de permanecer uns minutos à porta da cozinha, Camilla acabou por entrar na mesma. Aproximou-se da mesa que estava ao centro e deslizou para um dos bancos que rodeava a mesma. Mordiscou levemente o lábio e sorriu para Grace quando esta se apercebeu da presença de Camilla ali.

- Bom dia. – comprimentou-a.

- Bom dia. – Camilla mexeu distraidamente numa das pontas da toalha azul que cobria a mesa.

 – Quem era o rapaz que estava aqui? – acabou por perguntar com grande curiosidade na voz depois de uns momentos em silêncio.

- Jackson Montgomery. – ouviu Grace dizer enquanto olhava para Camilla pelo canto do olho.

A rapariga franziu a testa, pois tinha ficado a saber praticamente o mesmo. – E ele é…? – mordeu o lábio. Estava mesmo curiosa em saber quem era aquele rapaz desconhecido e que ela nunca tinha visto por ali. Era muito raro ver por ali alguém que não pertencia ao orfanato e quando isso acontecia a rapariga não conseguia deixar de sentir alguma curiosidade. Se bem que neste caso a curiosidade era bem maior.

Grace continuou o que estava a fazer ao mesmo tempo que respondia mais promenorizadamente à pergunta de Camilla. – É o filho de um dos maiores empresários da cidade de Londres. – disse. – Desde há uns tempos que uma das empresas do pai do Jackson tem fornecido algumas coisas aqui para o orfanato. Desde comida, materiais que são precisos, algum dinheiro também. – Camille reparou que Grace sorriu levemente. – Ele tem-nos ajudado imenso nos últimos tempos caso contrário penso que este orfanato já tinha fechado. – os cantos da sua boca desceram ligeiramente para um sorriso um pouco mais triste.

Camilla assentiu com a cabeça entendendo tudo o que Grace lhe estava a explicar, no entanto continuava sem perceber o porquê de… Jackson estar aqui.

- O Jackson costuma ajudar o pai lá na empresa e então veio aqui para trazer algumas das coisas. – Grace explicou antes de Camilla ter de perguntar algo. – Porquê essas perguntas todas? – perguntou a Camilla e juntou as sobrancelhas.

A rapariga engoliu em seco e encolheu os ombros. – Por nada... – disse tentando sorrir descontraidamente. - Apenas curiosidade. – levantou-se do banco onde estava sentada e pegou numa maçã que estava na fruteira, deu uma trinca na mesma e sorriu para Grace. – Vou indo. – disse-lhe.

- Não comes mais nada? – perguntou Grace com uma ponta de preocupação na sua voz. – Tens de comer Camilla ouviste? Não quero que fiques muito tempo sem comer…

- Eu sei Grace. – a rapariga abanou a cabeça rindo-se. Aproximou-se da mulher mais velha e deu-lhe um pequeno beijo na bochecha. – Até logo. – despediu-se e no instante seguinte saiu da cozinha.

 

Alexis sentiu embaterem no seu corpo e sorriu ao ver que era Camille. – Andava à tua procura. – disse à amiga dando-lhe um pequeno encontrão no braço. – Onde é que andavas? – perguntou.

- Estava na cozinha. – respondeu Camilla meio atrapalhada. – A comer. – apontou para a maçã que tinha na mão.

Alexis sorriu e puxou a amiga consigo para um dos sofás que estava livre. – Nem imaginas o que é que eu vi. – disse baixo para ninguém a ouvir e com um sorrissinho traquina e característico dela nos lábios.

- O quê? – perguntou Camilla com curiosidade e continou a comer a sua maçã.

- Vi um rapaz lindo mas mesmo lindo a sair do orfanato. – Alexis fez um ar todo sonhador e Camilla engasgou-se com a maçã que estava a comer. – Que foi? – perguntou Alexis vendo a amiga naquele estado.

Esta sorriu e abanou a cabeça tentando voltar à normalidade. – Nada nada… - acabou por dizer. Parecia que ela não tinha sido a única a reparar em Jackson. Isso não lhe agradava de todo pois olhando para Alexis sabia muito bem que a amiga não perderia uma oportunidade para conhecer aquele rapaz deveras atraente. Alexis era assim, e mal o rapaz pussesse ali os pés de novo a loira iria aproveitar logo para tentar a sua sorte. E a verdade era que tinha sempre sorte ao contrário de Camilla. Esta suspirou e só naquele momento se apercebeu que Alexis estava a fitá-la.

- Ficaste mesmo estranha agora. – comentou Alexis.

A outra abanou a cabeça. – Não fiquei nada. – levantou-se do sófá. – Tenho de ir estudar. – desculpou-se numa tentativa de poder ficar sozinha. Sorriu uma última vez para Alexis e subiu as escadas em direcção ao quarto.

17 comentários

Comentar post