Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

More than words.

More than words.

Hopeless (2)

Capítulo 2

Miles Foster

“Perfeitas são as estrelas que brilham sem a ajuda de ninguém.”

 

Miles continuou a agredir Savannah, sentia-se furioso e odiava que a rapariga fingisse não entender do que ele estava a falar. Sabia muito bem que ela olhava para outros rapazes e deixava-o ainda mais irritado o facto de ela negar.

- Será que não sabes pensar em mais nada para além de ti própria? – perguntou enquanto ainda a pontapeava cheio de raiva. – Odeio que negues as coisas mesmo quando eu as vejo mesmo em frente aos meus olhos. – falou mesmo sabendo que ela não lhe iria responder. – Estás muito longe de ser perfeita Savannha. – retorquiu.

Abanou a cabeça e acabou por parar de lhe dar pontapés, olhando para o chão viu-a toda encolhida e enroscada sobre si mesma e no fundo, sentiu-se satisfeito por saber que a tinha magoado. Ela magoava-o a ele e ele apenas queria que ela também sentisse dor.

Aquilo tudo tinha começada à pouco menos de um ano e apesar de Miles não gostar de lhe bater, nem se sentir bem ao fazer isso, sabia que era o que ela merecia. Tinha de descarregar a raiva que ela lhe provocava de alguma maneira e sabia que aquela era a única maneira possível.

Abandonou a sala deixando-a sozinha no meio do chão e subiu para o quarto que era de ambos. Depois de despir as suas roupas e de tomar um duche um pouco demorado acabou por se deitar na cama. Já era bastante tarde e precisava de descansar e recuperar todas as suas forças para o dia seguinte. Não tinha passado muito tempo desde que se tinha deitado quando ouviu a porta do quarto a abrir e logo depois o peso de Savannah sobre a cama quando a rapariga se deitou com cuidado sobre a mesma. Abriu a boca preparando-se para dizer algo, mas no último instante mudou de ideias e decidiu ficar calado. Não havia nada para dizer a Savannah naquele momento e por isso fechou os olhos fingindo estar a dormir. Não tardou a que tanto ele como a rapariga caissem no sono.

 

Quando acordou pela manhã, Miles virou o seu rosto para o lado onde Savannah dormia e viu que esta já não se encontrava na cama. Suspirou baixinho e passou uma mão pela zona da testa, estava com uma enorme dor de cabeça.

Levantou-se e depois de se arranjar desceu para o andar de baixo e entrou na cozinha onde Savannah estava a preparar o pequeno-almoço para ambos.

Aproximou-se da rapariga por trás e abraçou a sua cintura. – Bom dia. – sussurrou-lhe ao ouvido.

Ela virou o seu rosto para o lado e sorriu-lhe levemente enquanto retribuia o bom dia que Miles lhe havia dado.

 

Apesar de já ter passado muito tempo, e Miles já nem sabia ao certo quantos anos tinham sido, ele ainda se lembrava da primeira vez que tinha visto aquela rapariga. Naquela altura, não era muito alta e o seu porte franzino faziam com que ela não se destacasse muito ao lado das outras raparigas. No entanto, Miles tinha visto algo de diferente em Savannah e naquele momento tinha percebido que ela iria fazer parte da sua vida.

Não tinham trocado muitas palavras quando se tinham visto na primeira vez, apesar de nenhum deles ser tímido. No entanto, isso tinha ficado para uma segunda vez em que já falaram mais. Desde essa altura que passaram a ver-se mais vezes, não só por andarem na mesma escola mas também por terem amigos em comum. Tinham chegado a uma altura em que todos já tinham reparado na enorme atracção que ambos sentiam um pelo outro e não tinham descansado enquanto não os conseguiram juntar.

 

Miles acabou por virar o corpo da rapariga para o seu e depois de fitar o seu rosto por um bocado acariciou o mesmo. – Amo-te muito. – sussurrou olhando-a nos olhos. – Sabes disso não sabes?

- Sei. – disse Savannah assentindo levemente com a cabeça e acabou por esboçar um leve sorriso.

- Desculpa-me aquilo de ontem à noite… - pediu ele mordendo levemente o lábio. Acabava sempre por se arrepender do que lhe fazia. O pior é que quando se arrependia já era tarde demais e o pior já tinha acontecido. E não dava para voltar atrás e fazer as coisas de maneira diferente.

- Já passou. – disse a rapariga e encostou a cabeça ao peito dele.

Miles envolveu-a com os braços apertando o corpo dela contra o seu e desejando que pudessem ficar assim para sempre. Bem um com o outro, sem problemas nenhuns e principalmente sem discussões e sem o que vinha sempre a seguir às discussões.

- Amo-te. – conseguiu ouvir a voz da rapariga ligeiramente abafada por esta ter a cara encostada ao corpo dele.

Sorriu para si e fechou os olhos enquanto apenas sentia Savannah nos seus braços. Tinha sido a primeira rapariga por quem se apaixonou a sério e sabia que seria a última. Já não conseguia imaginar a sua vida sem ela.

- Temos de ir para a faculdade. – disse Savannah ao fim de algum tempo e olhando para o relógio Miles viu que se não se despachassem iam acabar por chegar atrasados à primeira aula do dia.

- Pois temos. – separou o abraço e segurando no rosto da rapariga beijou-a intensamente, beijo esse que foi correspondido.

Sorriu-lhe depois e como o pequeno-almoço já estavam pronto sentaram-se os dois e tomaram o pequeno-almoço juntos. Houve alguma conversa pelo meio e Miles ficou com a certeza de que Savannah já tinha esquecido o que se tinha passado na noite anterior. Esperava mesmo que tivesse esquecido, sabia que o que fazia não era correcto mas ele não tinha culpa de não ser perfeito. Ninguém era perfeito, nem mesmo Savannah apesar de tudo.

 

Miles estacionou o carro no parque de estacionamente da faculdade e ambos sairam do mesmo. Apesar de estudarem na mesma escola, eram de cursos e turmas diferentes. Miles não gostava muito disso, pois assim não podia ver Savannah nas aulas nem ver as pessoas com quem ela se dava bem. Mas não podia fazer nem podia obrigar a rapariga a frequentar o mesmo curso que ele, isso não era justo. Contentava-se pelo facto de estudarem na mesma faculdade e poder estar com ela sempre nos intervalos. Tinham um horário muito semelhante e quase todos os dias vinham e iam embora para casa juntos.

- Boas aulas. – ouviu a voz de Savannah ao seu lado. Puxou-a para si dando-lhe um beijo de despedida.

- Boas aulas. – murmurou contra os lábios da rapariga. – Encontrámo-nos no intervalo sim?

Ela assentiu com a cabeça e depois Miles ficou a vê-la desaparecer por entre as outras pessoas.

 

Bem, queria pedir imensas desculpas por não ter respondido aos vossos comentários, ando com problemas na internet e por isso tem sido difícil estar nos blogs. Mas muito obrigada pelos comentários todos, estou muito contente pois bastante gente leu o capítulo. Espero que continuem a acompanhar, beijinhos

7 comentários

Comentar post