Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

More than words.

More than words.

Another Life - 26

 

 

Nos dias que se seguiram, Cameron nunca mais apareceu naquela sala, em vez dele, quem vinha algumas vezes era Marla. Para me trazer de comer, levar até à casa de banho ou para mudar de roupa. Nem me atrevia a perguntar por Cameron, porque apesar de saber que ela não me questionaria por eu querer saber dele, eu tinha na mesma receio de lhe perguntar. Ela não sabia da minha proximidade com Cameron, e tinha medo que as minhas perguntas dessem algo a entender.

Passava os meus dias ali fechada, mais sozinha do que nunca, visto agora nem ter ninguém com quem falar. Não sabia mais nada dos meus amigos, se estavam ainda ali, se estavam bem ou se Graham tinha feito algo com eles. Era uma porcaria estar fechada dentro destas quatro paredes, alheia a tudo o que me rodeava no lado de fora daquela porta.

 

Os dias foram-se passando, uns a seguir aos outros e sem nada mudar. Estava tão farta. De forma repentina, dei um salto no sofá onde estava agora sentada, meio perdida em pensamentos. Logo a minha mente ficou alerta, ao ouvir uns pequenos estrondos vindos de algures ali perto. Franzi a testa, sentindo-me confusa quando o chão debaixo dos meus pés pareceu estremecer ligeiramente, fazendo-me cerrar os dedos no tecido do sofá. Eu devia estar a imaginar coisas, era impossível o chão estar a mexer-se assim como era impossível eu estar a ouvir aqueles estrondos que cada vez soavam mais alto nos meus ouvidos. Não conseguia ouvir nada para além desses barulhos, não ouvia vozes, mas eu sabia que isso era porque as paredes daquela sala eram extremamente grossas e portanto dificultava conseguir ouvir o que quer que seja. A não ser os estrondos, que não tinham fim.

Levantei-me do sofá quando a porta da sala se abriu de repente e Cameron surgiu no meu campo de visão.

- Anda, temos de sair daqui rápido. – ele andou até mim, agarrou no meu braço e começou a puxar-me para fora dali.

- O que é que se passa? – pergunto, arregalando os olhos e cada vez mais confusa sobre o que se estará a passar. Meu deus, está tudo louco? Penso para mim quando ao chegar ao corredor, vejo alguma confusão no mesmo. Pessoas a correr de um lado para o outro, feitas baratas tontas.

- Eu não sei. – diz Cameron, completamente ofegante enquanto me vai puxando pelo corredor, em direcção a não sei onde. – Só sei que temos de sair daqui de dentro, o mais rápido possível.

- Mas porquê? – continuo confusa e à procura de respostas. – E que barulhos são estes? Parecem bombas… - digo abanando ligeiramente a minha cabeça, enquanto os meus pés se arrastam pelos corredores, com Cameron ainda a puxar-me.

- Aconteceu alguma coisa, não sei o quê. As explosões são aqui dentro, Summer. Algo de muito grave está a acontecer, temos de ir lá para fora.

Assim que ele diz estas coisas, eu engulo em seco. – Os meus amigos, não podemos deixá-los aqui dentro! – exclamo, tentando parar de andar.

Ele revira os olhos, depois de olhar para mim e de seguida faz-nos virar para um outro corredor. Ele começa a andar mais rápido e apercebo-me mais tarde que estamos a ir para onde os meus amigos estão, ainda fechados. Paramos em frente de uma porta e Cameron abre a mesma.

- Saíam, rápido e sigam-me! – ele diz apenas. O Ethan, a Abigail e o Callum olham para ele com uma expressão de confusão no rosto, mas nada dizem, limitam-se a começar a correr atrás de nós através de todos aqueles corredores que parecem não ter fim.

O barulho das explosões é cada vez mais forte e alto, e o chão debaixo dos nossos pés, cada vez estremece mais. Sei que temos pouco tempo para sair dali, antes de acontecer uma tragédia, e apenas podemos confiar em Cameron para nos levar dali para fora, pois é o único de nós todos que sabe onde se localiza a saída para o exterior.

 

Por esta vocês não esperavam ahah! E o Cameron foi salvar os amigos dela aww. O que acham que se está a passar?

Beijinhos e até sábado.

6 comentários

Comentar post