Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

More than words.

More than words.

Fragile - 40 |deixa-me dormir aqui

No dia seguinte, James não falou nada sobre as palavras que tinha dito na noite passada, e como é óbvio, eu também não falei disso. Se calhar ele não se lembrava de as ter dito, por ter bebido demais, ou então lembrava-se, tal como eu, mas achava melhor não falar naquilo. Se calhar era mesmo melhor assim, até porque eu não sou dele nem nunca quero ser.

 

Os dias rapidamente passaram, e estávamos de volta à escola depois de umas semanas de férias, em que passei praticamente os meus dias inteiros na companhia de James.

Desci rapidamente as escadas e entrei na cozinha, vendo que James já lá se encontrava a tomar o pequeno-almoço.

- Finalmente, não tenho de ir de autocarro para a escola! – exclamei animada, enquanto preparava algo para eu comer.

- Ai não? Vais a pé agora? – perguntou o rapaz, olhando para mim.

Abanei a cabeça. – Vou de carro. No teu carro. – pisquei-lhe o olho e encolhi os ombros.

- Para isso é preciso que eu deixe. – ele acrescentou.

- Oh James. – abanei a cabeça e pousei a minha tigela com cereais sobre a mesa, em frente de onde ele estava. Depois disso sentei-me e fitei-o. – Basta eu dar-te um beijinhos que dizes logo que sim. – pisquei-lhe o olho.

Ele riu-se e esticou-se um pouco para a frente, de maneira a ficar mais próximo de mim. – Achas mesmo?

- Eu tenho a certeza. – encolhi os ombros e de seguida apressei-me a comer os meus cereais, visto que James acabou por dizer, que se eu não me despachasse nos próximos dois minutos, ia embora sem mim.

Corri depois para fora da cozinha indo atrás dele, peguei na minha mochila, a qual estava pousada perto da porta de entrada e depois saímos de casa.

 

Assim que chegamos à escola, Victoria e Edwin estavam logo na entrada da mesma, à nossa espera. Aquilo não era normal.

- O que aconteceu? – perguntei, assim que eu e James chegámos à beira deles. Sorri para Victoria, contente por vê-la, visto que nestas semanas de férias, pouco tempo tínhamos estado na companhia uma da outra. Ela era a única amiga que eu tinha aqui, e eu sabia que eu era também a sua única amiga neste lugar.

- Isso queremos nós saber. – disse Edwin, com uma expressão de curiosidade presente no seu rosto.

Começava a entender o que eles queriam saber. Estavam curiosas pelo que eu e James tínhamos feito durante aquelas semanas de férias, sozinhos em casa. Eles estavam completamente parvos, só podia. Pareciam dois fãs de um casal qualquer de um filme, a shippar loucamente e ansiosos pelo momento em que eles ficariam juntos. De qualquer das maneiras, eu e James não eramos um casal, nunca seriamos. Nunca ficaríamos juntos e a nossa vida nem sequer era um filme romântico.

Revirei os olhos e abanei de seguida a cabeça. – Lamento, mas ficarás na ignorância. – pisquei-lhe o olho e passei por ele, começando a andar pelo corredor, em direcção à sala onde iriamos ter a nossa primeira aula do dia. Tinha a certeza que James lhe ia contar tudo, tentando sempre fazer parecer que era eu que o beijava e não ele a mim. Já sabia bem como é que ele era.

Não estava nada preparada nem com vontade de começar as aulas de novo, e admito que já sentia saudades das férias, apesar de estas ainda agora terem terminado.

Ouvia os outros três atrás de mim, mas limitei-me apenas a andar em frente, até entrar na sala e me sentar num dos lugares mais atrás. Revirei os olhos quando James se sentou ao meu lado, não sabia porque é que ele fazia aquilo, mas desde que eu tinha vindo para esta escola, que ele teimava em sentar-se ao meu lado. Apoiei a minha cabeça numa das minhas mãos e tentei estar atenta àquela aula e às outras que se seguiriam.

 

*

Eu dava voltas e mais voltas na cama, não conseguia adormecer e isso era a coisa mais irritante de sempre. Eu tinha sono, mas ao mesmo tempo não conseguia dormir, e odiava tanto quando isso acontecia. Só queria adormecer de uma vez por todas, senão, no dia seguinte, iria estar tramada e andar a dormir por tudo quanto era lado.

Suspirei e sentei-me na cama, afastei para trás as mantas que me cobriam e um arrepio percorreu todo o meu corpo, devido ao frio que senti, talvez pelo facto de ter vestido apenas uma t-shirt comprida para dormir. Não costumava estar muito frio no interior daquela casa, mas estávamos no inverno, e era um bocado inevitável conseguir fugir do frio.

Saí da cama, e mordi o lábio quando os meus pés entraram em contacto com o chão frio. Em silêncio, caminhei até à porta do meu quarto, abri a mesma e saí para o corredor. Deixei a porta fechar-se e depois de mais alguns passos, parei em frente do quarto do James.

Abri a porta com cuidado, fechando-a de seguida da mesma forma. Os meus olhos estavam já habituados à escuridão, por isso, logo comecei a caminhar em direcção à cama dele.

- James? – chamei, talvez demasiado baixo, visto que não obtive qualquer tipo de resposta. – James? – voltei a chamar, agora num tom de voz ligeiramente mais alto.

- Hm? – conseguia perceber pelo seu tom de voz que ele estava mais a dormir do que acordado, mas as suas palavras seguintes, fizeram-me entender que tinha acordado mais um pouco. – O que estás aqui a fazer, Ruby? – ele perguntou, num sussurro suficientemente alto para que eu conseguisse ouvi-lo.

- Não consigo dormir, deixa-me dormir aqui… - murmurei, ao mesmo tempo que mordia fortemente o meu lábio. Eu nunca na vida lhe tinha pedido algo do género e não acreditava que estava agora a pedir. Eu devia andar constantemente a beber e nunca me lembrava disso, era essa a única explicação que eu conseguia encontrar para as coisas que eu andava a fazer.

- Não me parece que seja boa ideia. – ele disse, a sua voz arrastada, talvez por ele estar prestes a cair novamente no sono.

- Eu prometo que saio daqui cedo, muito antes dos nossos pais acordarem. – disse rapidamente, pois sabia que não seria boa ideia eles nos apanharem a dormir juntos, mesmo que estivéssemos apenas a dormir.

- Eu não estava a falar disso… mas…

Fiquei confusa com as suas palavras, mas logo mudei a minha linha de pensamentos quando James voltou a falar.

- Está bem. Anda. – disse simplesmente.

Sorri um pouco e avancei até à sua cama, subi para a mesma e senti-o mexer-se um pouco, para assim me dar espaço para me deitar ao seu lado. O seu cheiro, já demasiado familiar, entranhou-se no meu nariz e depois de me deitar, encostei-me a ele. James puxou-me mais para si, ficando assim o meu corpo ligeiramente em cima do seu. Podia sentir o seu tronco despido por baixo dos meus dedos, que estavam agora pousados no seu peito. Aliás, ele estava quase sem roupa, visto que apenas uns boxers cobriam o seu corpo. Tentei não pensar muito nisso e deixei que os meus olhos se fechassem.

Já conseguia ouvir a respiração mais regular de James, fazendo-me perceber que ele já estava novamente a dormir. Eu também adormeci rapidamente, coisa que não tinha acontecido quando eu estava na minha cama, sozinha.

 

Remexi o meu corpo, sentindo algo debaixo de mim e só nesse momento me lembrei que tinha vindo dormir para a cama de James. Ouvi um baixo gemido sair pelos lábios dele e juntei as sobrancelhas, ainda sem conseguir abrir os meus olhos.

- Porque é que estás a gemer? – perguntei com a voz arrastada devido ao sono que eu ainda tinha.

- Porque te estás a mexer. – ele resmungou.

Abri de repente os olhos e logo estes encontraram os de James, que estavam já focados no meu rosto. – Estou quieta.

- Há bocado não estavas.

- Mas estou agora. – disse prontamente e com um encolher de ombros. Acabei por me mexer, de novo, para sair de cima dele, visto que tinha acordado com o meu corpo completamente sobre o dele.

- Ruby… - ele sussurrou.

- Não foi de propósito! – defendi-me. – Estou apenas a tentar sair de ci…

A minha frase foi quebrada pelos lábios de James, que rapidamente se uniram aos meus num beijo bastante desesperado. Ele puxou mais o meu corpo para cima do dele, fazendo-me roçar contra ele, o que fez com que alguns gemidos saíssem por entre os meus lábios. Ele rodou-nos na cama, ficando em cima de mim e só quando senti as suas mãos apertarem o meu rabo, é que me apercebi de que a minha camisola, durante a noite, tinha subido. Bastante.

- James… - gemi por entre o beijo, deixando que as minhas mãos percorressem as suas costas despidas.

- Adoro ouvir-te gemer o meu nome… – ele sussurrou roucamente, entre o beijo e sem deixar que este se quebrasse.

- Eu não estou a…

Calei-me de repente, e ambos nos afastámos quando começamos a ouvir as vozes dos nossos pais no corredor. Merda. Nem tínhamos dado pelo tempo passar e supostamente, a esta hora, eu devia estar já na minha cama.

Pus-me de pé, ficando bastante alerta, para ver se deixava de ouvir o som das suas vozes. Estas começavam a afastar-se, por isso não precisei de seguir a sugestão de James, de me esconder debaixo da cama. Ok, eu devia estar mesmo doida. Nunca no meu estado normal eu me metia na cama dele.

- Vou embora. – disse rapidamente, enquanto os meus olhos se dirigiam para a cama, onde James estava ainda sentado. Os seus cabelos, completamente despenteados, os seus lábios ligeiramente mais rosados que o normal, talvez devido aos beijos que tínhamos estado a dar. Já para não falar no seu corpo, bastante atraente sentado sobre aquela cama. – Vou embora... – voltei a repetir e não ouvi mais nada do que ele disse.

Avancei até à porta, abri a mesma com cuidado, para me certificar de que o corredor estava livre, e quando tive a certeza disso, saí dali e fui rapidamente para o meu quarto.

 

Eu na segunda publiquei capítulo, por isso se não leram não se esqueçam de o fazer!

Este é o maior capítulo de toda a história! Espero que tenham gostado, e isto está quaseee a chegar ao fim. Faltam apenas mais 6 capítulos ^^

Beijinhos

5 comentários

Comentar post