Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

More than words.

More than words.

Fragile - 42 |apanhados

diminuida.jpg

 

Assim que os meus olhos se abriram, esfreguei ligeiramente os mesmos e as minhas sobrancelhas uniram-se em confusão quando me lembrei do que tinha acontecido há umas horas atrás. Olhando para o lado, pude confirmar que tinha mesmo acontecido, visto que James estava deitado na minha cama, sem roupa. A minha grande vontade era sair daquela cama, pegar nas minhas roupas e fechar-me no meu quarto. Mas não podia fazer isto porque, já estava no meu quarto. Suspirei e abanei ligeiramente a minha cabeça, e com todo o cuidado, levantei-me da cama, puxando um dos lençóis ao mesmo tempo, de maneira a que o meu corpo ficasse embrulhado neste. Caminhei de forma silenciosa pelo quarto, peguei numa toalha que estava no interior do meu roupeiro e de seguida saí daquela divisão e dirigi-me à casa de banho.

Rapidamente tomei um duche e quando dei este por terminado, limpei-me e envolvi de seguida o meu corpo com a toalha azul que tinha trazido comigo. Avancei de seguida de novo em direcção ao meu quarto, e sem fazer barulho, abri a porta deste e entrei no seu interior uma vez mais.

- Ruby.

O meu corpo paralisou de repente quando ouvi a voz de James, que tinha acordado entretanto. Mordi o meu lábio com alguma força e segurei melhor a toalha que me tapava. Os meus olhos desviaram-se até à cama, onde ele estava ainda deitado de forma descontraída.

- Olá… - murmurei sem saber ao certo o que lhe dizer. Abanei a cabeça. – Podes sair? Preciso de me vestir. – disse-lhe logo de seguida.

Um sorriso surgiu nos seus lábios e a sua língua deslizou de forma calma por estes. – Já te vi sem roupa, por isso…

- James! – repreendi com um revirar de olhos e sem o deixar terminar aquela frase. Ele nunca mudava. – Preciso de… privacidade? Agora sai. – voltei a dizer, de forma um pouco impaciente.

Os seus ombros encolheram-se ligeiramente e ele levantou-se da cama, recolheu as suas roupas e depois andou até mim. Fui obrigada a levantar um pouco a minha cabeça, para assim poder encontrar os seus olhos verdes, que me fitavam de forma atenta.

- Dá-me um beijo e eu vou. – ele falou.

Estiquei-me um pouco e colei de forma breve os meus lábios aos seus, dando-lhe assim o beijo que ele queria. Recebi um sorriso em troca e depois ele lá se decidiu a sair do interior do meu quarto.

Logo que fiquei sozinha, apressei-me a vestir as minhas roupas, de seguida fui até à minha cama e ajeitei esta. Felizmente, estávamos em fim-de-semana, os nossos pais tinham ido passar o dia fora, numa espécie de passeio romântico a dois, e portanto, o mais certo era apenas chegarem quando fosse já de noite.

Suspirei e deixei-me depois sentar sobre a cama, a minha mente estava repleta de vários pensamentos, e todos eles envolviam o rapaz que ainda há pouco estava deitado na minha cama. Eu não sabia mais o que estava a sentir por ele. Era tudo tão… confuso. Num momento apetecia-me bater-lhe até ele ficar todo magoado e no momento seguinte já me apetecia tratar dele, curando-o de todas as feridas. Num momento apetecia-me dizer-lhe que o odiava mas no seguinte, a minha maior vontade era de o beijar.

 

*

Ri-me por algo estúpido que James estava a dizer e coloquei duas torradas na torradeira. Tínhamos acordado demasiado cedo hoje, e o mais estranho era ser segunda-feira e dia de aulas. Senti as mãos de James pousadas sobre cada um dos lados da minha cintura, e no momento seguinte o meu corpo estava virado para ele. O seu lábio, preso entre os seus dentes era objecto do meu olhar e logo depois apressei-me a unir os nossos lábios. Não conseguia resistir à enorme vontade que ultimamente eu tinha sempre de o beijar e sabia que acontecia exactamente o mesmo com ele.

Mordi o lábio dele, quando senti o meu corpo ser pressionado contra a bancada da cozinha. Entrelacei os meus dedos nos seus cabelos e no instante seguinte, as suas mãos estavam nas minhas pernas, a elevar as mesmas até eu ficar sentada sobre a bancada. Puxei-o mais contra mim e aprofundei mais o beijo.

- O que é que vocês estão a fazer? – uma voz fez-se ouvir vinda da porta daquela divisão.

Logo James recuou alguns passos e num salto eu saí de cima da bancada, deixando os meus pés assentarem no chão.

Era a mãe de James. Ela tinha-nos apanhado a beijarmo-nos.

- Tenho de ir trabalhar. Logo falamos. – ela disse, com uma expressão confusa, quando nenhum de nós se atreveu a abrir a boca.

A mulher virou costas e abandonou assim aquela divisão. Eu e James ficamos durante algum tempo com os olhos postos na porta e sem dizer nada, até eu quebrar aquele silêncio que se prolongava há demasiado tempo.

- Isto não devia ter acontecido, merda! – resmunguei entredentes. – Não me devias ter beijado, James. – protestei.

- O quê? – ele olhou para mim e revirou os olhos. – Agora a culpa é minha? Parece que fui o único a beijar.

Suspirei e o cheiro a queimado, vindo da torradeira, entranhou-se no meu nariz. Fui rapidamente até àquele electrodoméstico e retirei do mesmo as torradas, que estavam agora completamente pretas.

- Que nojo! - resmunguei irritada e abri o caixote do lixo, deitando para o seu interior aqueles alimentos estragados.

- Tem calma. – pediu James, agora próximo de mim. Segurou ambas as minhas mãos fazendo-me olhar na sua direcção. – Está tudo bem. Não é o fim do mundo.

Suspirei e encolhi os ombros. – Eles vão-se passar, tu sabes disso. – disse-lhe. – Não era suposto andarmos metidos um com o outro. Eles não vão ficar nada contentes.

Ele abanou a cabeça. – Não sejas exagerada, Ruby… ela apenas viu um beijo. Não é nada demais e nós não somos irmãos, eles não têm de ficar chateados. Nós fazemos o que quisermos.

Baixei ligeiramente o meu olhar, e nem sei bem porque estava assim: a preocupar-me com o que os outros poderiam pensar dos meus atos. Eu nunca antes me preocupava com a opinião dos outros, eu sempre fizera aquilo que queria, sem pensar nas consequências disso. Mas agora estava a pensar, demasiado. Eu estava a mudar, eu já não era a mesma Ruby de há uns meses atrás. E a culpa de todas estas mudanças era apenas do James. Ele estava a mudar-me completamente.

 

Não sei o que dizer, por isso pronto, espero que tenham gostado! O que será que vai acontecer agora que foram descobertos?

Beijinhos!

3 comentários

Comentar post