Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

More than words.

More than words.

Fragile - 44 |devias admitir

tumblr_mn3a45I5my1r614d7o1_500.png

 

Tal como estávamos à espera, a mãe de James, estava já em casa à nossa espera. Respirei fundo quanto entramos na sala de estar e o meu olhar se cruzou com o dela.

Eu e James sentamo-nos ao lado um do outro no sofá, e depois ambos olhamos para aquela mulher, aguardando as palavras que iriam sair da sua boca.

- Podem-me explicar o que foi aquilo? – perguntou, referindo-se ao beijo.

- Nada. – James respondeu, com o seu olhar fixo em Theresa. Engoli em seco, sem saber se me agradava o facto de James estar a falar com ela daquela maneira.

- Nada? Não me pareceu que aquilo fosse nada. – ela encolheu os seus ombros e depois de respirar fundo, continuou a falar. – Bem, não precisam de estar com essas caras de quem cometeu um crime. – ela disse, deixando-me ligeiramente confusa, se era esta a palavra que eu podia usar para descrever como me estava a sentir naquele momento. – Eu já andava desconfiada que vocês andavam… a fazer essas coisas um com o outro.

- Como? – dei por mim a perguntar, não conseguindo evitar que as palavras escapassem por entre os meus lábios.

Os seus ombros encolheram-se ligeiramente. – Não sei… eu entendo as coisas. Os olhares entre vocês, os pequenos toques, as discussões sem qualquer sentido. Pequenas coisas. Qualquer pessoa percebe que vocês estão apaixonados um pelo outro. – um pequeno riso ecoa dos seus lábios.

- Não estamos nada! – exclamo de forma repentina, enquanto os meus olhos se arregalam, bastante. – São coisas que acontecem por acontecer. – apresso-me a dizer, sentindo-me irritada por ela ter insinuado aquilo. Desde quando é que aquilo é verdade? Nunca.

- Não exageres, mãe. – diz James logo de seguida e posso adivinhar que ele está a revirar os olhos.

- Não estou a exagerar. – os seus olhos vão vagueando entre mim e o rapaz que se encontra sentado ao meu lado. – Percebo que vocês não admitam isso, aliás, provavelmente ainda não perceberam isso. Mas sabem? Mais cedo ou mais tarde isso irá acontecer. Ainda me lembro quando conheci o teu pai, Ruby. Nós eramos mais ao menos da vossa idade, e não posso dizer que a nossa relação era como a vossa, porque não era. Nós desde sempre nos demos bastante bem um com o outro, mas mesmo assim, ainda levou o seu tempo até entendermos o que sentíamos um pelo outro. – ela encolheu os ombros e o seu olhar deixou de ser sonhador, para voltar a focar-se nos nossos rostos. – Só quando o perdi, é que percebi o quanto o amava. Mas era tarde demais, naquela altura. – ela suspirou e depois levantou-se do sofá onde estava sentada. – Não deixem que isso aconteça com vocês. Parem de negar algo que é tão óbvio. – depois de proferir estas últimas palavras, Theresa virou costas e abandonou a sala, deixando-nos entregues aos nossos próprios pensamentos.

- Eu não estou apaixonada por ti, James. – disse, num tom de voz um pouco baixo, mas alto o suficiente para que ele me pudesse ouvir.

- Basta olhar para ti para ver que estás. – ele disse, mordendo o seu lábio e tentando não se rir.

Peguei numa almofada que estava ao meu lado e atirei a mesma de encontro ao seu rosto.

Se eu estou, então tu também estás! – retorqui seriamente e depois levantei-me, mas fui impedida de andar quando ele segurou o meu braço, puxou-me e me fez ficar sentada no seu colo.

- Devias admitir, Ruby. – ele mordeu o lábio enquanto os seus olhos verdes se cruzavam com os meus azuis.

- Eu não tenho nada para admitir. – protestei, desviando de seguida o meu olhar do seu. – E pára de me olhar dessa maneira. – voltei a resmungar, levei de seguida uma mão ao seu rosto, e virei este para o lado.

James apenas se riu e voltou a virar o seu rosto na minha direcção. Fê-lo de forma rápida, assim como de forma rápida os seus lábios encontraram os meus e se uniram a estes num beijo intenso.

 

Este capítulo ficou uma treta como o anterior e é também tão pequeno! Nem me lembrava que isto estava assim. O próximo é bem melhor, eu juro! E a conversa foi bastante curta e de certeza que não foi o que vocês estavam à espera, ou então sim. Como podem ver, a mãe dele percebe-os devido às coisas pelas quais ela passou com o pai da Ruby. Para além de que ela não é burra e por mais que eles disfarcem, há coisas impossíveis de esconder ^^.

Eu adoro a imagem que usei neste capítulo porque se adequa mesmo a eles ahahahah.

Oh meu Deus, nem acredito que faltam apenas dois capítulos para a Fragile chegar ao fim. Adoro esta história mas por um lado estou ansiosa de a terminar ahah. Bem, na próxima segunda feira há novo capítulo e na quarta já publico o último!

Beijinhos

6 comentários

Comentar post