Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

More than words.

More than words.

Fragile - 9 |vingança

large (1)d.jpg

 

O resto daquele dia passou-se comigo a arrastar-me de umas aulas para as outras. Estava sem vontade nenhuma de ter aulas, como sempre. Já estava mesmo a ver como seriam as minhas notas nos testes, todas uma porcaria, como sempre. E o meu pai a implicar, fingindo que se importava muito comigo ou com a educação que me dava. O mais certo, era querer unicamente mostrar à minha mãe que sabia tomar conta de mim, mas duvidava que isso fizesse alguma diferença à minha progenitora.

Por pouco não perdera o autocarro que me levaria a casa, mas como tal não aconteceu, uns minutos depois, eu estava a entrar dentro da minha habitação. Logo fui interceptada pelo meu pai, que nem sequer me deu tempo de dizer o que quer que fosse.

- Porque é que faltaste a uma aula, Ruby? – perguntou ele, de braços cruzados ao peito e sem deixar de me olhar. Os meus olhos arregalaram-se de imediato e deixei a minha mochila cair no chão. Mas como é que o director da escola já tinha ligado ao meu pai a dizer que eu tinha faltado? Eu sabia que mais cedo ou mais tarde ele seria informado, só não me tinha passado pela cabeça que seria assim tão rápido.

- Eu… o director ligou-te? – perguntei, porque não sabia o que lhe responder, então nada como fazer uma pergunta de volta. Apesar de eu já saber que a resposta seria afirmativa.

- Foi um amigo teu que me ligou há pouco, um tal de… James, se não me engano. Fico contente por já teres feito amigos mas…

O QUÊ? O James? O estúpido do James ligou para o meu pai a dizer que eu faltei? Mas… como é que é possível? Como é que aquele idiota arranjou o número de telefone da minha casa? Só me apetecia começar para aqui a gritar todas as asneiras que eu conhecia.

- Porque é que faltaste, Ruby? – o meu pai perguntou, talvez pela segunda vez seguida ou assim, visto que eu estava, neste momento, demasiado distraída a pensar numa maneira rápida de matar o James.

O meu ódio por ele acabou de se tornar de tal maneira enorme, que ele nem imagina.

- Eu… estava a doer-me a barriga. Foi isso, foi só por isso que eu faltei. – menti, olhando-o nos olhos enquanto falava. Eu tinha uma grande capacidade para mentir mesmo na cara das pessoas, não tinha problema nenhum em fazer isso. Ele suspirou e de seguida descruzou os seus braços, descontraindo-se um pouco, apesar de eu notar que ele estava ainda um pouco com dúvidas do que eu tinha acabado de dizer.

- Espero que tenha sido a primeira e última vez. – ele falou e eu apenas assenti com a cabeça. Peguei na minha mochila, a qual ainda se encontrava no chão, e depois comecei a andar, subi as escadas e dirigi-me o mais rápido possível para o interior do meu quarto. Atirei a mochila para cima da cama e bufei para o ar, sentindo-me completamente chateada devido ao estúpido do James. Já disse que amanhã o vou matar?

 

Peguei nos posters que tinha comprado no dia anterior, e como a tinta das paredes já estava mais do que seca, colei os mesmos numa das paredes. A mesma ficou preenchida por diversos rostos, o que dava mais vida ao meu quarto que estava agora muito melhor do que quando eu tinha aqui chegado.

Passei o resto daquele dia fechada no meu quarto, a jogar no meu computador e apenas desci ao andar de baixo quando o meu pai começou a chamar-me para ir jantar. Não tinha vontade nenhuma de comer, mas como ele ameaçou cortar-me a mesada se eu não aparecesse na cozinha em um minuto, eu desci rapidamente as escadas.

 

Este capítulo é tãoooo pequeno, e não gosto nada disso... mas não queria avançar mais nada neste, porque queria meter tudo no capítulo seguinte. O James está tramado... porque ninguém se mete com a Ruby e ele fez isto! O capítulo seguinte promete, comecem já a imaginar como será quando a Ruby apanhar o James na escola ahahah!

Beijinhos

 

7 comentários

Comentar post