Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

More than words.

More than words.

Hopeless (13)

Capítulo 13

Savannah Sparks

“Quanto maior é a dor sentida, maior é o alívio depois da sua partida.”

 

Ao fim de uns minutos, Savannah e Landon chegaram à casa do rapaz. Não tinha sido uma viagem longa e Savannah sentia-se contente por isso. Era estranho, mas não se sentia muito confortável ao lado daquele rapaz, que do nada tinha surgido na sua vida. Não é que tivesse medo dele, claro que não tinha, não tinha motivos para isso sequer, muito pelo contrário. No entanto, era estranho tudo o que tinha acontecido durante este longo dia. E mais estranho ainda, era que o facto de Landon e Lexie a estarem a ajudar fazia como que Savannah tivesse a sensação de que os conhecia à já muito tempo e não apenas à algumas horas.

- Queres que te leve ao colo? – o tom de voz provocante de London fez a rapariga abandonar os seus pensamentos e revirou-lhe os olhos.

- Não. Obrigada. – fez-lhe uma careta e seguidamente abriu a porta do carro e saiu do mesmo. Landon era aquele género de rapaz que se metia com todas as raparigas com quem se cruzava e tinha a certeza que não parava de as provocar até conseguir aquilo que queria. Ainda bem que ela era diferente e com ela não teria a mesma sorte que com toda a certeza tinha com as outras.

- És tão má para mim, Savannah. – disse o rapaz depois de também sair do carro e o contornar até chegar à beira da rapariga.

Ela revirou os olhos. – Não sou nada má. – encolheu os ombros, apenas queria distância das pessoas. No fim, todas acabavam por a magoar e ela estava mais do que farta disso.

Landon abanou a cabeça com um sorriso e depois abriu a porta de sua casa deixando que Savannah entrasse antes dele no seu apartamento.

O apartamento de Landon tinha poucas divisões, visto que o rapaz vivia ali sozinho. Apenas possui-a uma sala, cozinha, casa de banho e um quarto, o essencial para ele. Apesar de que todas as divisões tinham uma dimensão considerável, era uma casa bastante acolhedora e pela bela decoração, ninguém diria que era uma casa de um rapaz.

- Fica à vontade. – disse ele para a rapariga que ainda estava a olhar em volta, e perdida nos seus pensamentos.

- Obrigada. – disse ela, tinha a sensação de que agora aquela seria a palavra que mais iria usar. Savannah acabou por se sentar no sofá e respirou fundo pela primeira vez desde que o dia tinha começado a descambar. Estava tão cansada que sabia que se se deitasse ia adormecer num instante.

Landon acabou por se sentar também no sofá e mordeu o lábio. – Bem, a minha casa não é muito grande e só tenho um quarto… por isso, o quarto é todo teu. – disse ele.

A rapariga juntou as sobrancelhas e olhou para ele. – E tu onde vais dormir?

- Aqui, no sofá. – ele encolheu os ombros.

- Não Landon. – revirou os olhos. – Estás em tua casa e não quero estar a ocupar o teu espaço. – disse. – Podes ficar no teu quarto e eu durmo aqui, a sério.

O rapaz abanou a cabeça. – Nem penses nisso, e o sofá nem é assim tão desconfortável. Eu durmo bem aqui. E não me contraries. – fez-lhe cara de mau e depois sorriu-lhe.

Ela suspirou e decidiu não dizer mais nada, pois sabia que não adiantava. Landon era tão ou mais teimoso do que ela, e por mais que Savannah quisesse protestar, as suas forças para este dia já se tinham esgotado à muito tempo. Também, isto era apenas uma situação temporária e não tardaria a que deixasse a casa de Landon.

- O teu namorado faz-te aquilo à muito tempo?

Savannah levantou o olhar para Landon assim que ouviu esta pergunta e engoliu em seco, voltando assim a desviar o seu olhar do dele.

- Não quero falar disto… - foi o que apenas disse.

- Porque não? – perguntou o rapaz com um suspiro e cansado de ela estar sempre a fugir de uma coisa que estava mesmo em frente aos olhos de toda a gente.

- Porque nunca irias entender. – disse ela apenas, com uma voz fria e demasiado distante. Landon parecia ser o rapaz que tinha uma vida perfeita, e por isso, nunca iria entender a vida dela. – Quero dormir Landon, estou muito cansada. – acrescentou.

Ele apenas assentiu com a cabeça e levou Savannah até ao seu quarto, depois de lhe dizer onde estavam algumas coisas de que ela poderia precisar, saiu do quarto e deixou a rapariga sozinha.

 

Savannah suspirou assim que se viu sozinha naquela divisão, percorreu o quarto de Landon com o olhar. Era um quarto grande e tinha as paredes num tom de azul, assim como todo o quarto estava decorado em tons de azul. A cama, no centro, era demasiado grande e tudo estava tão arrumado. Ela caminhou até à cama e descalçando os sapatos deixou-se cair sobre o colchão. Savannah passou os dedos pela suave almofada que tinha debaixo da cabeça e fechou os olhos enquanto um delicioso aroma de perfume, de Landon claro, se entranhava no seu nariz. A rapariga pretendia esquecer tudo o que se tinha passado durante o dia. Agora estava ali e sentia-se tão segura como já não acontecia à muito tempo. Sabia que não ia entrar ninguém ali dentro e começar a gritar com ela ou a bater-lhe. Sabia que estava protegida e nada nem ninguém lhe iria fazer mal. No entanto, havia ainda uma pontada de medo que a atormentava, pois sabia que Miles andava por aí algures, muito provavelmente à procura dela. Savannah suspirou e depois de algum tempo ainda perdida em pensamentos, acabou por adormecer.

19 comentários

Comentar post

Pág. 1/2