Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

More than words.

More than words.

Hopeless (9)

Capítulo 9

Savannah Sparks

“Talvez eu não chore, mas doí. Talvez eu não diga, mas eu sinto. Talvez eu não mostre, mas eu importo-me.”

 

Savannah apercebeu-se dos olhares entre Lexie e Landon, e sabia que tinham a ver com aquela conversa que Landon tinha tentando ter com ela. Ainda bem que o médico tinha aparecido e interrompido o que o rapaz ia dizer, pois Savannah pretendia continuar sempre a negar o que quer que fosse. Não podia contar-lhes nada sobre a sua vida pois se Miles descobrisse o que quer que fosse ia-se passar tanto mas tanto… Ela já sabia que ele estava furioso por ela lhe ter feito frente e sabia, que quando ele a apanhasse ia tentar pô-la de novo no hospital. E dessa vez, ela não ia apenas ter dado um mal jeito ao braço, ia ser algo muito pior e bem mais grave.

- Bem, tens de ir para casa. Não me importo que estejas aqui, claro, mas um hospital não é um bom sítio para se ficar durante muito tempo. - Lexie falou, dizendo aquilo em modo de brincadeira. Os olhos de Savannah arregalaram-se assim que ouviu a palavra casa.

- Eu não posso ir para casa. – disse muito rapidamente enquanto que os seus olhos iam de Lexie para Landon e vice-versa. Miles ia simplesmente matá-la desta vez… ela tinha tanta certeza disso.

- Porque é que não podes ir para casa? – perguntou Landon com um olhar inquisidor e demasiado curioso para o gosto da rapariga. Mas será que ele era sempre assim?

Pelo canto do olho, Savannah conseguiu ver Lexie a sair do quarto, não entendia o porquê de a outra rapariga insistir em deixá-la sempre sozinha com Landon. Devia pensar que ela ia contar coisas ao rapaz, quando isso não era verdade. Ela não ia contar nada, a nenhum deles. Não podia, mesmo que quisesse.

- Não tens nada a ver com isso. – disse simplesmente.

Landon começou a rir-se e abanou a cabeça. – Vai ser sempre essa a tua resposta sempre que eu te perguntar alguma coisa?

- E se for? – perguntou ela.

- Vais continuar a ser sempre assim para mim? – perguntou ele de volta, sem ter respondido à pergunta dela.

Savannah revirou os olhos e, com algum custo devido ao facto de o seu corpo estar todo dorido, sentou-se na cama. – Não preciso de ser de outra maneira. – ela encolheu os ombros.

- Nem sequer me vais agradecer por te ter ajudado? – perguntou o rapaz.

Os olhos dela foram de novo para o rosto de Landon. – Também me atropelaste. Estás à espera que te agradeça por isso?

- Não mistures as coisas, Savannah. Eu sei que te atropelei mas tu sabes muito bem que não tive culpa nenhuma. Tu é que estavas no meio da estrada, nem sei porquê, mas pronto, sei que também não me vais querer contar isso.

A rapariga suspirou com as coisas que ele ia dizendo. Só queria que ele se calasse com aquilo e a deixasse em paz. Ela só queria estar sozinha. Queria esquecer tudo o que se tinha passado naquele dia que se estava a revelar horrível. Primeiro tinha acontecido aquilo com Miles, tinha-lhe feito frente pela primeira vez desde que ele lhe batia. Depois tinha sido atropelada por Landon e agora estava num hospital rodeada de duas pessoas que a queriam ajudar e ela nem sequer sabia porquê. Mas será que este dia ainda podia piorar mais? Savannah já nem sabia de nada e o mais certo era a resposta ser positiva.

- Pronto, obrigada Landon por me teres ajudado. – acabou ela por dizer enquanto olhava para ele. Talvez assim ele parasse de a chatear.

- Muito melhor agora. – Landon sorriu-lhe e ela desviou o olhar. – Então, agora já me podes dizer porque é que não podes ir para casa? – perguntou.

- Não. – disse Savannah com um suspiro. Não podia simplesmente dizer-lhe “ Olha não posso ir para casa porque o meu namorado, muito provavelmente, está lá à minha espera e quer bater-me.” Ela suspirou de novo assim que a voz de Landon se fez ouvir uma vez mais.

- Vives sozinha? – perguntou e ela apenas negou com a cabeça. – Com os teus pais? – ela negou mais uma vez e depois acabou por olhá-lo.

- Vivo com o meu namorado. – disse. Landon olhou-a com uma cara confusa e talvez a perguntar-se o porquê de ela não poder ir para casa se vivia com o namorado. – Não me faças mais perguntas Landon, por favor. – pediu ela. – Não posso responder a nada do que queres saber por isso não insistas. – disse ela.

- Mas… - Landon mordeu o lábio e calou-se, pois estava prestes a fazer uma outra pergunta. Não entendia o porquê de tanto mistério em volta da vida de Savannah nem porque é que ela não queria contar-lhe nada. Ele não tinha já provado que era de confiança? Apenas queria ajudá-la, mais nada. – Ainda vou descobrir o que andas para aí a esconder.

- Boa sorte com isso. – foi o que a rapariga lhe disse e ele fez-lhe uma careta.

- Adoro raparigas misteriosas. – disse Landon em jeito de provocação o que fez Savannah arregalar ligeiramente os olhos.

- Deixa-me. – resmungou apenas.

 

Pronto, como já perceberam decidi que vou mesmo postar por vezes um capítulo durante a semana (obrigada a todas pelos comentários!). Não se esqueçam que sábado à novo capítulo!

Beijinhos!

11 comentários

Comentar post

Pág. 1/2