Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

More than words.

More than words.

I want you - 15

Sorri para a Rose assim que nos encontramos ao fundo da rua e abracei-a com força.

- Parabéns! – disse-lhe de forma animada assim que separámos aquele abraço.

Ela sorriu-me e beijou-me na bochecha. – Obrigada. – agradeceu-me e entrelaçou o seu braço no meu enquanto começávamos a andar para a casa do Dave.

Assim que lá chegámos, ele deu-lhe também os parabéns e depois apanhámos um táxi que nos levou até ao parque aquático, onde iriamos passar uma parte daquele dia.

- Vai ser tão bom este dia! – exclamou a Rose assim que entrámos dentro daquele local. Era um sítio bastante agradável e onde nos poderíamos divertir bastante.

- Pois vai… - disse eu num tom de voz um pouco mais baixo e, pelo canto do olho, olhei para o Dave que também estava a olhar para mim. As imagens do que tinha acontecido no dia anterior ainda não me tinham saído da cabeça e estar tão perto dele, só me deixava nervosa. Era horrível quando queríamos alguém que já não podíamos ter.

Pousámos as nossas coisas no relvado e depois fomos divertir-nos por ali.

 

Deixei a minha cabeça cair na relva, quando ao fim de umas horas, voltamos para a beira das nossas coisas. Já nos tínhamos divertido bastante e sentia-me deveras cansada.

- Ainda não tinha falado isto com vocês, mas combinei com alguns amigos encontrarmo-nos todos logo à noite, num bar. – disse a Rose.

- Isso é fixe. – retorquiu o Dave com um sorriso nos lábios.

- Pois é, assim podemos festejar mais um pouco. – acrescentou ela de forma animada.

Sorri-lhes e peguei no meu telemóvel, quando este tocou devido a ter recebido uma mensagem. Juntei as sobrancelhas ao ler a mesma.

- Que se passa? – perguntou-me a Rose, talvez por se ter apercebido da minha estranha expressão.

- É o James. – olhei para ela. – A convidar-me para sair com ele… - mordi o lábio e percebi como o Dave tinha ficado irritado por causa do que eu tinha acabado de dizer.

- Isso é fixe! – exclamou a Rose com um sorriso no rosto. – Diz já que sim. – acrescentou ela.

- Vais? – perguntou o Dave, com uma cara séria, enquanto olhava para mim.

Assenti com a cabeça e baixei o olhar. – Porque não? – encolhi os ombros e respondi à mensagem deixando depois o telemóvel de lado. Conseguia perceber os olhares que o Dave me estava a mandar, mas decidi ignorar.

 

- Vou à casa de banho. – avisei-os ao fim de algum tempo, e depois de me levantar dirigi-me à mesma.

Estava a lavar as mãos, quando vi que alguém tinha entrado e olhando para trás vi que era o Dave. - Que estás aqui a fazer? – fechei a torneira e limpei as mãos, virando-me depois para ele.

- Porque é que vais sair com o James? – perguntou-me. – Estás a tentar fazer-me ciúmes é?

- Não, estou apenas a tentar seguir em frente. – retorqui e comecei a andar para a porta, mas tive de parar quando o Dave se meteu em frente à mesma, impedindo-me assim de sair lá para fora. – Que queres, Dave? – suspirei.

- Quero que não saias com ele, é isso que quero.

- Lamento mas isso não vai acontecer, e agora deixa-me passar. – tentei afastá-lo mas ele segurou-me no rosto, fazendo-me olhá-lo.

- Pára de ser assim comigo… - ele suspirou.

- Não sou de maneira nenhuma, só quero que pares com essas coisas. Quero que pares de me dizer coisas desse género, quero que pares de me beijar…

- Não queres nada disso, admite. Admite que gostas que eu diga estas coisas e mostre que gosto de ti. Admite que gostas e queres que eu te beije.

Engoli em seco à medida que ele ia falando e quando lhe ia para responder ele não me deu hipóteses de o fazer, pois nesse instante beijou-me.

Senti os seus braços a rodear o meu corpo e a puxar-me mais contra si, enquanto que a sua boca se movia contra a minha de forma intensa e apaixonada.

- Dave, pára. – tentei falar por entre o beijo tentando ao mesmo tempo afastá-lo de mim, por muito que me custasse fazer isso. – Dave… – repeti assim que senti as minhas costas embaterem na parede atrás de nós e puxei o seu cabelo para que ele parasse de me beijar e olha-se para mim.

Engoli em seco assim que os seus olhos se fixaram nos meus, ainda sentia a sua respiração ofegante bater-me no rosto. – Pára de me beijar… a Rose está aqui tão perto… - sussurrei.

- Eu sei… - ele sussurrou também e acabou por me largar. Fechou os olhos por momentos e de seguida olhou de novo para mim. – Eu amo-te Morgan.

Abri a boca para falar mas antes de o fazer, voltei a fechá-la de novo, que poderia eu dizer perante aquilo?

- Eu também te amo. – sim, era mesmo isto que eu podia dizer e que acabei mesmo por dizer. De que adiantava negar ou tentar fugir de algo? Ainda por cima ele já sabia o que eu sentia, visto que isso era mais do que óbvio. – Eu amo-te e estava a morrer de saudades tuas. – olhei para ele. – Nem imaginas o quanto me custou ter de ficar longe de ti todo aquele tempo e mais horrível ainda, foi voltar e ver que te tinha perdido… - suspirei. – Eu quero-te tanto. Sempre quis e sempre vou querer. – deixei que todas estas palavras saíssem da minha boca de uma só vez, porque se não as dissesse agora, corria o risco de perder a coragem e nunca mais as dizer.

- Eu sei disso tudo. – ele aproximou-se de mim e segurou-me no rosto. Fechei levemente os meus olhos ao sentir os seus dedos roçarem pela minha bochecha. – Eu sinto exactamente o mesmo que tu… - sussurrou.

Suspirei e afastei-me ligeiramente dele. – Mas é melhor esquecer-mos tudo isto. – retorqui voltando a suspirar. – Agora estás com a Rose e não podemos magoá-la desta maneira. Temos de fingir que nada aconteceu e tentar que nada mais aconteça…

- Achas que vamos conseguir ficar afastados um do outro?

Encolhi os ombros. – Temos de conseguir. – disse-lhe. – E vou sair com o James, desculpa… E não é para te fazer ciúmes, é só porque… porque é o melhor a fazer.

O Dave suspirou e abanou a cabeça. – Como queiras. – notei o tom de resmungo na sua voz e revirei os olhos quando ele virou costas e saiu de dentro da casa de banho.

10 comentários

Comentar post