Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

More than words.

More than words.

I want you - 5

Passaram-se mais três dias desde a minha chegada à Austrália, e esses três dias foram passados entre praia e passeios. Eu a Rose e o Dave mantínhamo-nos sempre juntos a fazer todas as coisas, e eu apenas me recusava a estar com eles quando sabia que estava a mais e que era altura de os deixar sozinhos.

Olhei para o meu telemóvel quando acordei de manhã, e vi que tinha uma mensagem da Rose em que dizia que estava doente e, por isso, hoje não iria à praia pois pretendia passar o dia de cama a descansar. Suspirei triste, e respondi-lhe à mensagem dizendo-lhe que mais tarde passaria por casa dela para lhe fazer um pouco de companhia.

Depois de tomar um duche, para me refrescar, sai do meu quarto e desci até à cozinha, peguei num iogurte e numa maçã para comer pelo caminho e depois sai de casa em direcção à praia.

 

Hoje estava mais calor que o habitual, ou então era apenas impressão minha. A praia ainda não estava com muita gente, mas como ainda era cedo, era normal ainda estar assim meio vazia.

Engoli em seco, quando depois de entrar na zona do areal vi o Dave na beira da água com a sua prancha, preparando-se provavelmente para ir fazer surf. Comecei a andar, acabando com a distância e parei apenas quando cheguei ao lado dele.

- Hey. – disse e consegui ver a cara de surpresa dele quando me viu ali. Provavelmente só se tinha apercebido que eu tinha chegado quando me ouviu a falar.

- Olá. – ele sorriu-me e eu desviei o olhar para a água. Aquele sorriso dele, era demasiado irresistível e adorável. – A Rose hoje não vem. – acrescentou pouco depois.

- Eu sei, ela mandou-me uma mensagem a dizer que estava doente. – fiz uma cara triste e descalcei as minhas sandálias, andei apenas mais uns dois passos para a frente e sorri quando senti a água molhar-me os pés. – Então, é hoje que me vais ensinar a fazer surf? – perguntei com um sorrisinho enquanto apontava para a sua prancha.

Ele juntou as sobrancelhas. – Tens a certeza que queres? – perguntou-me.

- Sabes bem que sim. – pisquei-lhe o olho. Na altura em que eramos namorados, eu tinha-lhe pedido imensas vezes para me ensinar a surfar, no entanto tínhamos sempre adiado e de repente eu tinha ido embora. Eu sabia que muito provavelmente nem sequer tinha jeito para aquilo, mas não havia nada como tentar e parecia ser divertido.

- Então está bem. Vamos lá. – ele riu-se, e eu tinha a certeza que era por, tal como eu, ele achar que eu não me ia sair lá muito bem.

Pousei as minhas coisas na areia, ao lado de onde ele tinha as suas e depois de despir as minhas roupas, fui ter com o Dave que tinha ficado no mesmo sítio à minha espera.

- Não sei se vais ser um bom professor. – retorqui tentando não me rir.

- Ai não? Tu é que se calhar não vais ser uma boa aluna, e depois vais culpar-me a mim. – ele pousou a prancha no chão e não consegui evitar olhar para os seus abdominais bem definidos enquanto ele fazia aqueles movimentos. – Morgan? – abanei a cabeça e olhei para o Dave assim que ele me chamou.

- Hm desculpa. – pedi com uma cara confusa.

Segui as indicações do Dave, e meti-me em cima da prancha, segundo ele para aprender a equilibrar-me em cima daquele pedaço de tábua. Ali tudo parecia fácil, mas sabia que dentro de água não seria bem sim. Mordi o lábio quando senti as mãos dele na minha cintura e tentei concentrar-me no que estava a fazer em vez de pensar como era bom sentir o toque dele.

 

Dave

Começava a ser difícil conseguir concentrar-me em ensinar a Morgan aqueles truques, quando estávamos cada vez mais próximos um do outro. Não podia afastar-me dela, mesmo que quisesse, pois estava a ensiná-la e como tal, tinha de lhe explicar como se devia posicionar em cima da prancha. Só o facto de ter lhe tocar, tornava as coisas ainda mais estranhas pois fazia-me lembrar dos velhos tempos e das saudades que eu tinha daqueles momentos… Mordi o lábio, e tentei parar de pensar nestas coisas, porque simplesmente não podia deixar que isso acontecesse. Eu tinha a Rose e gostava bastante dela.

- É melhor irmos para dentro de água. – disse ao fim de um tempo, não só porque era melhor para ela aprender, mas também por causa de toda aquela proximidade.

- Tens a certeza? – perguntou Morgan com uma cara meio assustada, o que me fez começar a rir.

- Claro. – agarrei na prancha e na mão dela, puxando-a comigo para a água. Depois de deixar a prancha cair na água e de lhe dizer mais algumas coisas, ajudei-a a subir para cima da mesma e a equilibrar-se.

- Eu não consigo Dave. – disse ela enquanto se agarrava toda a mim, com medo de cair.

Abanei a cabeça. – Consegues sim e não precisas de ter medo de cair, estás com água pela altura dos joelhos. – ri-me. – Não corres o risco de te afogar.

Ela fulminou-me com o olhar. – Não gozes comigo. – deu-me um pequeno empurrão no braço e eu larguei-a, fazendo assim com que ela se desequilibra-se e caísse dentro de água.

 

Morgan

- Dave, eu vou-te matar! – levantei-me depois de ter caído na água e semicerrei os olhos, empurrando-o de seguida numa tentativa de o fazer cair na água, mas é claro que não consegui que isso acontecesse. Como era óbvio, eu não tinha força suficiente para o empurrar.

- Mas eu não fiz nada. – ele continuava a rir-se de mim e isso só em deixava mais passada. – Pronto, pronto. Desculpa, vamos tentar de novo. – ele levantou as mãos como que a dizer-me que não faria mais nada e eu lá acabei por ceder.

Depois de mais algumas tentativas, lá acabei por conseguir equilibrar-me em cima da prancha, mas não era por muito tempo. Pois, depois de o Dave me largar eu acabava por cair quase logo. Ele apenas se ria disso, e ao fim de algum tempo também eu me comecei a rir. Acabámos por deixar a prancha de lado, pois já tínhamos percebido que eu era um zero à esquerda no que tocava ao surf e começamos a brincar dentro de água. Sabia que estávamos muito próximos um do outro, no entanto não conseguia impedir-me de deixar que aquelas brincadeiras estivessem a acontecer. Estávamos a divertir-nos tanto… e aquilo fazia-me lembrar das coisas do passado.

O tempo foi passando e ficamos dentro de água durante bastante tempo, pois nem sequer demos por ele passar. Corri para fora de água, fugindo do Dave que me queria molhar e ri-me muito assim que cheguei à areia. Levei as mãos aos meus cabelos, e espremi-os para tirar um pouco do excesso de água.

- Que é isto? – perguntou o Dave depois de se baixar e apanhar um pequeno papel que parecia ali perdido na areia.

Tirei-lhe o papel da mão, e os cantos dos meus lábios elevaram-se num sorriso assim que li o cabeçalho. – Uma festa! – olhei para ele.

- Daqui a dois dias. – disse o Dave sorrindo também, depois de espreitar para o papel. Olhámos um para o outro e sorrimos. Parecia que já tínhamos arranjado planos para daqui a dois dias. Agora só faltava a Rose ficar boa e depois iriamos àquela festa divertir-nos muito.

10 comentários

Comentar post