Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

More than words.

More than words.

I want you - 6

Eu e o Dave acabámos por ficar durante mais algum tempo na praia, visto que o dia que se estendia à nossa frente era ainda bastante longo. Ficámos a conversar, e eu por muitas vezes sentia- me um pouco constrangida por todos os sentimentos que se formavam dentro de mim. Gostava dele ainda mais do que antes e, infelizmente, isso agora não era nada bom para mim.

O tempo passou e depois de sairmos da praia e de nos despedirmos, segui para a casa de Rose, pois tal como lhe tinha dito, iria lá fazer-lhe companhia e também falar-lhe da festa.

Ela já se sentia melhor, felizmente e ficou logo toda entusiasmada e contente por causa da festa. Quem não ficaria? Ficamos na conversa o resto do dia e quando fui embora para casa, já começava a escurecer lá fora.

 

*

Olhei-me no espelho e ajeitei o meu vestido que teimava em subir, já era curto demais e se eu não estivesse constantemente a ajeitá-lo, ele estava sempre a subir mais para cima. Infelizmente, não tinha tido muito tempo para procurar um vestido mesmo perfeito, pois estes dois dias tinham sido bastante preenchidos. Depois de me certificar de que o vestido estava bem, peguei nos sapatos pretos de salto alto e calcei-me, deixei o cabelo solto, deixando-o assim cair pelas minhas costas. A maquilhagem que usava era muito natural sendo que o mais chamativo era o baton vermelho que tinha aplicado nos meus lábios.

Peguei no telemóvel assim que este tocou, com o sinal de aviso de que tinha recebido uma mensagem, e verifiquei que era da Rose a dizer que tínhamos de nos despachar. Sai do quarto e depois de casa, não tinha de avisar a minha tia visto que ela ainda não estava em casa.

Fui até à casa da Rose, pois tínhamos combinado encontrar-nos lá, e com o Dave apenas nos encontraríamos na festa.

- Hey. – disse-lhe assim que lá cheguei e agarrei no seu braço, como ainda era um pouco longe, tínhamos de apanhar um táxi que nos levaria até à casa onde a festa se iria realizar.

- Estás bonita. – a Rose riu-se e esticou-se até conseguir dar-me um beijo na bochecha.

Ri-me e olhei para ela. – Olha quem fala. – retorqui. – Vamos, senão daqui a pouco a festa acaba e nós ainda nem sequer lá chegámos. – ri-me e depois de chegarmos à rua, não foi difícil encontrar um táxi.

 

- Uau. – disse a Rose assim que por fim chegámos à casa.

À entrada da casa encontravam-se uns pequenos focos de luz, como que para nos guiar até às traseiras da casa, onde estava a decorrer a festa. A música era bastante audível e perguntei-me se não haveria problemas mais tarde com todo aquele barulho. Passamos pelo alpendre da casa e de seguido contornamo-la até chegarmos às traseiras. O enorme espaço estava repleto de luzes, dando assim bastante luminosidade ao local, ao centro, existia uma enorme piscina e apesar de ser noite, estava bastante convidativa para um mergulho nocturno. Nos vários espaços em que aquilo estava dividido, havia mesas com bebidas e até um local adequado e preparado para quem quisesse dançar. Estava tudo bastante agradável e dei por mim a sorrir, tinha tudo para ser uma bela noite.

- Finalmente chegaram! – exclamou o Dave quando chegou à nossa beira e fiquei surpreendida quando me deu um beijo na bochecha, tentei depois não olhar para o lado quando ele beijou a Rose na boca. Ele estava giro, como sempre, vestia uma camisa e uns jeans que lhe assentavam perfeitamente. Juro que nunca tinha visto um rapaz tão giro como ele, aqueles olhos e aquele cabelo loirinho, deixavam qualquer uma completamente babada.

A Rose também estava muito bonita, tinha os seus cabelos também soltos e o seu vestido era do género do meu, mas um pouco menos curto.

- Querem beber alguma coisa? – perguntei-lhes ao fim de algum tempo em que ficamos por ali na conversa. Caminhamos os três até à zona das bebidas e o Dave pediu algo para bebermos.

Levei o copo à boca assim que o Dave nos deu os copos e fui sorrindo e falando com algumas pessoas que já não via desde que me tinha ido embora. Uma dessas pessoas era o James, um rapaz que tinha uma paixoneta por mim, basicamente desde sempre.

- Olá! – disse ele animadamente assim que nos viu e chegou à minha beira. Apesar de antes eu estar com o Dave, o James nunca tinha visto isso como um impedimento para tentar ter alguma coisa comigo, mas obviamente nunca tivera sorte. Será que ele iria continuar? Ou aquilo já lhe teria passado? O pior era que eu agora estava sozinha.

- Olá. – cumprimentei-o também.

- Então, tudo bem? Já tinhas saudades disto aqui? – perguntou ele com um sorriso e piscou-me o olho. Ele era também bastante giro, não tanto como o Dave, claro, mas era igualmente um dos rapazes mais bonitos e populares da escola.

- Claro que sim. – sorri-lhe de volta e bebi mais um pouco da minha bebida. Ele continuou a falar comigo e eu com ele, e entretanto vi a Rose puxar o Dave para um pouco mais longe de nós, talvez numa tentativa de nos deixar sozinhos. Sinceramente, nem me importei muito que ela tivesse feito isso. Sabia que não podia passar a noite a deprimir por ter perdido o Dave e que o melhor era tentar dar-me com as outras pessoas.

O James foi buscar outra bebida para mim assim que a que eu tinha chegou ao fim e a verdade, era que me estava a divertir bastante. Ele era uma pessoa daquelas com as quais era fácil ter uma conversa, pois havia sempre assunto e nunca se tornava aborrecido. Ele quis saber montes de coisas sobre a Suíça e também me contou algumas novidades e coisas que se tinham passado por ali enquanto eu tinha estado fora.

Uns minutos mais tarde, ele segurou na minha mão e puxou-me com ele para a zona onde algumas pessoas estavam a dançar. Sorri-lhe e ele puxou o meu corpo contra o seu, fazendo-me assim sentir o seu braço a rodear a minha cintura.

À medida que começávamos a dançar, eu sentia-o cada vez mais perto de mim e estava a tentar não deixar que aquilo que afectasse ou que me desse vontade de ir embora. Estava a divertir-me e isso era o mais importante.

Apenas parei de dançar quando senti uma mão segurar-me um dos braços e depois virei o meu rosto para o lado, para ver quem era.

- Dave? – juntei as sobrancelhas, numa expressão confusa e sem entender o que ele queria.

13 comentários

Comentar post

Pág. 1/2