Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

More than words.

More than words.

(One-Shot) - Jealous

A one-shot não ficou muito do meu agrado, na minha cabeça soava melhor ahah, mas pronto, é normal as coisas nunca ficarem tão bem como aquilo que pretendíamos. Espero que não achem muito confuso e consigam entender, e desculpem estar um pouco grande. Espero que gostem!

Caroline enterrou a cara na almofada assim que sentiu o sol entrar pela janela do quarto e suspirou. A sua maior vontade era passar o dia enfiada na cama mas sabia que isso não iria acontecer, portanto acabou por sair da cama e espreguiçar-se antes de sair do quarto.

Ao descer as escadas para o andar de baixo cruzou-se com Sarah que lhe esboçou um sorriso, ao fundo das escadas estava Matt e ela sabia que não veria Jared porque certamente este já teria saído de casa.

Caroline, Sarah, Sophie, Matt, Jared e Bryan eram um grupo de amigos e todos partilhavam a mesma casa. Já viviam assim todos juntos à quase um ano e a verdade era que se davam bastante bem, tirando umas pequenas coisinhas de vez enquanto.

Quando a rapariga ia entrar na cozinha viu Bryan e logo surgiu um sorriso nos seus lábios, no entanto esse sorriso desapareceu assim que ela viu que ele estava a falar com Sophie. Pois, tudo isto poderia ser muito normal, se Bryan não fosse o namorado de Caroline e Sophie fosse a sua ex-namorada. Caroline nunca tinha percebido muito bem aquela relação dos dois, estava constantemente a encontrá-los a conversar animadamente e isso irritava-a profundamente. Tinha a certeza absoluta de que Sophie ainda gostava de Bryan apesar de ela ter namorado e por vezes tinha sérias dúvidas em relação ao que Bryan sentiria pela ex-namorada. Ele dizia que não era nada e que apenas eram amigos, mas Caroline continuava a não se sentir muito confortável com aquela relação dos dois. Os outros chamavam-lhe cíumes. Ela apenas chamava de sexto sentido.

Bryan olhou para a porta e viu Caroline parada à entrada da cozinha, nem sequer teve tempo de dizer nada pois a rapariga virou costas indo-se embora. Ele suspirou e saiu atrás dela, sabia que ela já estava a imaginar coisas, como sempre.

- Carol? – chamou-a quando ela estava já a começar a subir as escadas.

A rapariga olhou para trás, na direcção do rapaz loiro. – Diz.

- Eu só estava a falar com ela, não comeces já a pensar coisas. – retorquiu fitando-a.

- Tudo bem. – ela voltou-se de novo de costas para ele e continuou a subir as escadas.

Desde à algum tempo que a relação deles se baseava basicamente nisto, num momento estavam bem e logo a seguir ficavam mal de novo. O pior de tudo era que passavam mais tempo mal do que bem. Bryan amava Caroline, amava-a como nunca antes tinha amado ninguém mas odiava o facto de ela passar a vida a duvidar do que ele sentia.

Caroline muitas vezes sentia que o namorado preferia a companhia de Sophie à dela, só o facto de eles conversarem imenso e estarem sempre com um sorriso nos lábios enquanto falavam, faziam-na ter cada vez mais certezas disso.

 

Matt e Jared subiram para o paredão que havia naquele rio que eles costumavam frequentar e prepararam-se para mergulhar na água.

- Não vens Caroline? – perguntou Jared olhando de relance para o lado.

- Tem calma. – ela revirou os olhos e subiu para o lado deles. Adorava aquele lugar e ainda mais que isso, adorava saltar para a água. Era uma coisa simples, no entanto aquilo divertia-a tanto e fazia sentir-se livre.

- O Bryan não vem? – foi Matt quem perguntou e a rapariga encolheu os ombros.

- Não sei. Deve estar em casa. – disse num tom de voz indiferente. Ela e Bryan tinham discutido outra vez, devido ao mesmo assunto já que o rapaz insistia em ser muito amigo da sua ex-namorada. Olhando para o lado, apenas se via Sarah deitada a apanhar sol, não havia sinais de Sophie e portanto, Carol presumiu que o mais certo era ela e Bryan estarem sozinhos lá na casa. A rapariga revirou os olhos e saltou para dentro de água fazendo com que a água à sua volta salpicasse toda devido à força do impacto de ela a cair lá dentro.

- Elaah, esmeraste-te nesse salto. – disse Jared com uma gargalhada.

- É para descarregar. – ela encolheu os ombros e passou os dedos pelos seus cabelos claros. Desviou-se para o lado quando os dois rapazes saltaram praticamente ao mesmo tempo para dentro da água.

Começaram a atirar água uns aos outros entre gargalhadas e Sarah acabou por se juntar a eles. A tarde passou-se assim, entre saltos para dentro de água e brincadeiras na mesma.

 

Caroline sentou-se a um canto do sofá e encolheu as pernas, pondo-as em cima do sofá, encostou a cabeça contra o canto do mesmo e levou à boca a chávena que continha chá. Estava tão perdida em pensamentos que apenas se apercebeu de que Bryan estava ali quando sentiu a mão dele pousar sobre a sua perna. Instintivamente afastou a mesma para o lado e suspirou baixinho.

- Pára de estar assim comigo… - sussurrou o rapaz encostando desta vez os seus lábios à pele do braço da rapariga. Só queria que estivessem bem, queria que parassem de discutir e queria a sua Caroline divertida de volta. Quer dizer, ela continuava divertida mas era apenas quando estava com os outros. Porque quando estava com ele, ultimamente, mostrava-se sempre mais fechada e triste.

- Não estou de maneira nenhuma. – sussurrou a rapariga com um pequeno encolher de ombros. – Estou só cansada. – tentou desculpar-se, e aquilo nem era mentira, a tarde passada no rio tinha-a deixado estafada.

- Estás sim, estás mal comigo, como sempre. – ele suspirou cansado de estar calado sobre aquele assunto. – Pára de ter ciúmes da Sophie, eu falo também com outras raparigas e tu nunca tens ciúmes das outras. – retorquiu. – Além disso, tu agora estás sempre com o Jared e com o Matt e não me vês todo passado por causa disso. A Sophie é apenas uma amiga, põe isso na cabeça.

- Já percebi. E espero que te tenhas divertido a tarde toda aqui com ela. – Caroline afastou-o para o lado e saiu do sofá. Só queria estar sozinha nem que fosse por um bocado.

- Estive aqui sozinho a tarde toda. – vociferou ele enquanto via a namorada subir as escadas.

Ela subiu para o quarto e deitou-se na cama preparando-se para dormir, afinal já era tarde e as outras já estavam também a dormir.

Andou às voltas na cama, virando-se de um lado para o outro, apesar de estar cansada o sono teimava em não vir. A noite já ia a meio e a rapariga bufou irritada, só queria dormir. Levantou-se da cama e sem fazer barulho saiu do quarto, abriu a porta do quarto ao lado e entrou no mesmo, sempre em silêncio. Este era o quarto onde Bryan dormia juntamente com os outros rapazes, caminhou até à cama dele e enfiou-se debaixo das mantas encostando e aconchegando o seu corpo contra o do rapaz. Apesar de tudo, era ao lado dele que se sentia bem e por isso desta vez não demorou a adormecer.

 

De manhã, Bryan remexeu-se na cama e deu por si abraçado a Caroline. Sorriu para si, satisfeito por ela estar ali a dormir na sua cama.

- Desculpa… - ouviu o sussurro da voz da rapariga quando esta despertou. – Não estava a conseguir dormir e vim para aqui… - acrescentou passando os dedos pelos olhos e esfregando-os.

O rapaz sorriu e levou um dedo ao queixo dela, elevou-o fazendo-a olhar para ele. – Acordar e ver-te aqui comigo já me fez ficar bem disposto para o resto do dia.

Ela sorriu e esticou-se para ele até lhe beijar os lábios. Bryan segurou-lhe no rosto e acabou por beijá-la.

Foi Caroline quem separou o beijo ao fim de um tempo e rolou para o lado de maneira a sair de cima de Bryan, já que ele a tinha puxado durante os beijos que tinham dado.

- Gosto tanto quando estamos assim. – sussurrou o rapaz e levou os dedos ao rosto dela acariciando o mesmo.

- Eu também. – ela sorriu e beijou-lhe a bochecha.

O rapaz segurou no rosto dela e fitou os seus olhos esverdeados. – Quero mesmo que saibas que não precisas de ter ciúmes de quem quer que seja, porque eu só te amo e só te quero a ti. És a única que eu quero. – sussurrou e sorriu ao vê-la sorrir também. – Eu vou afastar-me um pouco da Sophie para tu ficares mais descansada e parares com esses macaquinhos na tua cabeça. – riu-se levemente. – Confias em mim?

Ela assentiu muito com a cabeça e encostou a sua boca à dele. – Desculpa-me. – sussurrou.

Bryan sorriu-lhe e beijou-a demoradamente nos lábios, queria mesmo que as coisas entre eles ficassem bem de vez e talvez isto fosse um começo para tal.

- Bem, vou tomar banho e depois vamos tomar o pequeno-almoço que já estou cheia de fome. – retorquiu Caroline e quando se preparava para se levantar, foi puxada de novo pelo rapaz.

- Tem mesmo de ser? – perguntou ele com um beicinho, a sua maior vontade era ficar ali com ela.

- Tem. – a rapariga riu-se e saltou para fora da cama. – Até já. – sorriu uma última vez e seguidamente abandonou o quarto.

- Que estás aqui a fazer? – perguntou Bryan quando ao fim de uns escassos minutos, Sophie entrou no quarto. Ele pegou na sua t-shirt e vestiu-a.

A rapariga caminhou até ficar mais perto dele e ele viu o seu olhar preso nele. – Ahm preciso de te dizer uma coisa.

Ele juntou as sobrancelhas, meio surpreso pela presença dela ali. E se a Caroline a visse, tudo o que tinham falado já se ia por água abaixo. – Diz. – ele falou e esperava que ela se despachasse e se fosse embora.

- Eu gosto de ti.

- O quê?! – Bryan arregalou os olhos perante esta afirmação e abanou a cabeça. – Não gostas nada Sophie, além disso tens namorado, por isso pára lá com essas ideias.

- Não são ideias, é a verdade. – ela suspirou. – E sei que tenho namorado mas isso não impede que eu ainda goste de ti…

O rapaz parou o que estava a fazer e olhou para ela. – Quer gostes de mim ou não, não te ponhas com ideias de me conquistar ou assim. Eu amo a Caroline e não vou fazer nada contigo nem quero mais nada contigo. – retorquiu. A sério que Sophia tinha vindo com esta conversa agora para cima dele? A Caroline não podia sequer desconfiar dos sentimentos da Sophie por ele, porque caso contrário iria começar a pensar que ele também ainda gostava dela, quando isso não era verdade.

- Não podes impedir-me de fazer nada. – afirmou ela.

O rapaz abanou a cabeça. – Não vais conseguir separar-me dela e ai de ti que digas alguma coisa à Carol. – avisou-a e de seguida saiu do quarto batendo a porta atrás de si.

 

- Carol, nem vais acreditar! – Sarah puxou a outra rapariga para fora do quarto assim que esta abriu a porta, preparando-se para sair do mesmo.

- O que se passa? – perguntou arregalando os olhos.

- Eu ouvi isto sem querer, não podes dizer a ninguém que eu te disse. – ela falava sempre seguido não deixando sequer que Caroline dissesse algo. – A Sophie esteve mesmo agora no quarto do Bryan a declarar-se a ele! – estas palavras fizeram com que a outra engolisse em seco e arregalasse muito os olhos. – Mas calma, não te passes… Ele deu-lhe para trás. – Sarah não conseguiu evitar um sorriso. Acabou por contar a Caroline tudo o que tinha ouvido e a outra ficou contente pelas coisas que Bryan tinha dito.

Desceram depois para a cozinha, onde todos os outros já se encontravam a preparar e a tomar o pequeno-almoço, Carol sorriu para o namorado e caminhou até ele. Encostou-se a ele e segurando-lhe no rosto beijou-o de forma intensa, o beijo foi retribuído da mesma maneira. Nenhum deles sabia o que estava a passar pela mente do outro naquele momento, mas ambos queriam mostrar o mesmo: que se amavam e que nada nem ninguém jamais se iria intrometer entre os dois.

Caroline sabia que tinha exagerado naquilo dos ciúmes, apesar de continuar a achar que era o seu sexto sentido que estava em alerta. Mas agora, agora tinha a certeza que devia confiar em Bryan, afinal ele nunca lhe tinha dado motivos para ela desconfiar do que quer que fosse. Além de que depois de todas as vezes que ela se tinha chateado com ele, ele nunca a tinha deixado e tinha sempre lutado para que ficassem bem de novo. Talvez agora fosse a sério, talvez agora fossem ficar bem para sempre, talvez o facto de Sophie se ter declarado, fosse algo que desse ainda mais força a Caroline. Força para ela lutar e não se deixar ir abaixo nem deixar que lhe tirassem a pessoa que ela ama. A rapariga sabia que haveriam sempre obstáculos no caminho, e Sophie era um deles, no entanto, ela sabia também que se quisesse conseguiria derrubar todos os obstáculos.

Por vezes é assim, temos de ser fortes quando queremos muito algo, porque do nada, podemos perder. A vida está constantemente a pôr-nos à prova, e Caroline sabia que lá no fundo, ela e Bryan estavam destinados a ficar juntos, agora bastava-lhe apenas aproveitar isso e ser feliz.

13 comentários

Comentar post

Pág. 1/2