Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

More than words.

More than words.

You're so bad {1}

Jullie apenas abrandou o seu passo quando chegou à recepção da empresa. Hannah, já se encontrava lá, como em todas as restantes manhãs de todos os dias da semana. Com sábados incluídos.

A rapariga loira ajeitou a alça da sua bolsa e pousou de seguida as mãos sobre o balcão de cor preta. – O meu pai está por aqui? – perguntou para Hannah, que tinha parado o que estava a fazer para olhar para a mais nova.

- Ainda não chegou à empresa, Menina Gautier.

- Jullie, chama-me Jullie, por favor. – a rapariga revirou os olhos e, virando-se de costas para o balcão dirigiu-se para a zona do elevador.

 

Jullie não trabalhava naquela empresa, pelo menos ainda não. Com os seus vinte e um anos de idade, a mais nova da família Gautier estava ainda a terminar o seu curso na universidade. Sabia que mais tarde o seu futuro seria ali, dentro daquele estabelecimento e por mais estranho que fosse, ela adorava essa ideia. Sempre tinha sonhado, desde que era ainda uma criança, em trabalhar naquele lugar, sentia que era a sua cara e que seria feliz a trabalhar num sítio daqueles. Entretanto, Jullie apenas vinha à empresa para ajudar no que fosse preciso, não só a pedido do pai mas também porque gostava de o fazer.

 

A Gautier Company é uma das maiores empresas da cidade. Dedica-se ao comércio de produtos de beleza e possui várias lojas para venda dos seus produtos, em vários pontos daquela cidade e também de algumas outras. Tem imensos funcionários a trabalhar ali mesmo na empresa, e outros tantos a trabalhar nas diversas lojas existentes. Jullie diz que ali dentro aquilo é mundo à parte, são tantos os andares a percorrer, os corredores que parecem infinitos, os escritórios espalhados pelos cinco andares que a empresa tem. Tirando várias outras coisas existentes por ali. Já para não falar na quantidade de pessoas que por ali anda todos os dias. É quase impossível não esbarrar contra alguém quando se anda um pouco distraído.

Era nisto que Jullie estava a pensar quando de repente sentiu alguém vir contra si. Encolheu-se toda quando sentiu algo molhar-lhe a parte da frente da sua blusa azul turquesa, e baixando o olhar conseguiu ver que a sua blusa estava agora completamente estragada por um líquido qualquer, que devido ao cheiro e à cor, Jullie se apercebeu de imediato que era café. Levantou o seu olhar para a pessoa que se encontrava à sua frente e sentiu os seus nervos surgirem quando viu quem era.

- Claro que tinhas de ser tu. – ela elevou mais a sua cabeça, para assim poder olhar melhor para Finn, que se encontrava à sua frente ainda com o copo de café na mão.

- E claro que tinhas de ser tu a meter-te no meu caminho. – o rapaz pegou num pequeno guardanapo que tinha trazido com ele, ao ir buscar o café, e estendeu de imediato o seu braço na direcção da rapariga loira.

- O que pensas que estás a fazer? – quase gritou ela, dando naquele instante um pequeno salto para trás, de maneira a impedir que o moreno lhe tocasse.

- Ia fingir que era simpático para ti e tentar limpar… isso. – ele encolheu os ombros.

Não sabia o que aquela rapariga estava sempre a fazer ali na empresa. Tinha chegado a pensar que ela trabalhava naquele local, pois era a coisa mais normal visto ela estar ali, no entanto ela parecia não cumprir os horários como todas as outras pessoas, incluindo ele. Via-a muitas vezes com Trixie, uma rapariga que tinha começado a trabalhar naquele local à relativamente pouco tempo mas sinceramente continuava sem entender o que Jullie fazia ali. E também não estava muito interessado em saber, afinal de contas aquela era a rapariga mais irritante e mal-educada que ele alguma vez tinha conhecido. O sei jeito de nariz empinado irritava-o ainda mais e ele não gostava nada mas mesmo nada de pessoas como ela.

- Dispenso que te armes em simpático para mim. – resmungou Jullie com um revirar de olhos. Arrancou o pequeno pedaço de papel das mãos dele e de seguida esfregou o mesmo na sua blusa. – Arg! – resmungou quando viu que aquilo não teve qualquer efeito. Muito pelo contrário, a mancha parecia ter-se espalhado ainda mais.

Estendeu o papel empurrando-o contra Finn e bufou para o ar. – Vê se tens mais cuidado da próxima vez que te voltares a pôr no meu caminho.

- Sim nariz empinado, da próxima vez vou virar-te logo o café todo pela cabeça abaixo. – retorquiu ele com um sorriso irónico a aparecer nos seus lábios.

- Ai de ti que te atrevas a fazer isso sequer! Ias ficar a precisar de muito gelo para pôr… num sítio que eu cá sei. – ela largou o pedaço de papel que ainda tinha na mão. – E não me voltes a chamar nariz empinado, oh idiota. – de seguida passou por ele, embatendo de propósito no seu braço, e avançou pelo corredor até chegar ao elevador.

 

Começou a carregar nos botões, e assim que as portas do elevador deslizaram para o lado, ela entrou no mesmo e carregou no botão que a levaria ao terceiro andar, local onde a sua melhor amiga estava a trabalhar.

- Que te aconteceu, Jullie? – perguntou Trixie assim que a amiga entrou no seu escritório. A sua blusa estava toda manchada e olhando para a cara de Jullie, viu que a rapariga estava furiosa.

- Foi o outro, o idiota. Sujou-me toda de café! – exclamou e deixou-se sentar na cadeira que se encontrava em frente à secretária de Trixie.

- O idiota? – perguntou a outra, apesar de já calcular sobre quem é que Jullie estava a falar.

Ela só chamava idiota a uma única pessoa ali dentro e Trixie sabia que só uma única pessoa ali dentro deixava a amiga naquele estado. Completamente irritada e fora de si.

- O Finn. – acabou a outra por dizer com um longo suspiro enquanto olhava para o aspecto nojento da sua blusa.

- Portanto, já implicaram mais uma vez um com o outro?

- Foi ele que veio contra mim. – defendeu-se a rapariga loira, decidindo deixar a blusa e fitar a amiga. - Juro que não sei como é que alguém o consegue aguentar. – resmungou entredentes, ainda só se tinha cruzado algumas vezes com ele por ali, no entanto já tinha perdido toda a paciência.

- Pois. – Trixie apenas se riu.

- Não tem piada nenhuma. – Jullie bufou para o ar. – Mudemos de assunto.

- Sim, o que te trás por cá, já agora? – perguntou Trixie, curiosa.

- Vinha ter com o meu pai, mas parece que ele não está por cá, e por isso vim fazer-te uma curta visita. – a rapariga esboçou um leve sorriso e pegou nuns papéis que a morena tinha à sua frente. – E dar-te uma ajuda, caso precises.

A outra assentiu com a cabeça e de seguida Jullie levantou-se e começou a ajudar a amiga a tratar de uns papéis. Era algo que fazia com alguma frequência, e Trixie ficava-lhe sempre muito grata por causa disso.

 

12 comentários

Comentar post

Pág. 1/2