Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

More than words.

More than words.

You're so bad {14}

Jullie e Finn param de andar, quando ao fim de um pouco, Trixie aparece mesmo à frente deles.

- O que é que vocês estão a fazer? – pergunta. – Juntos? – a sua sobrancelha levanta-se ligeiramente o logo um sorriso lhe aparece nos lábios.

- Nada Trixie. – diz Jullie muito rapidamente. É preciso ter cá uma sorte, de todas as pessoas que podiam aparecer ali, tinha logo de ser Trixie. Aquela que mais perguntas iria fazer.

- Estivemos a fazer coisas. – acaba por dizer Finn e pisca o olho à rapariga. De seguida agarra na mão de Jullie e puxa-a com ele dali para fora deixando Trixie praticamente a morrer de curiosidade.

 

- Porque é que disseste aquilo? – pergunta Jullie quando por fim ficam sozinhos de novo, à medida que vão andando pelos corredores.

- Porque é verdade. – diz ele com um sorrisinho nos seus lábios.

- Não é nada. E agora ela vai ficar a pensar coisas. – a rapariga revira os olhos e começa a andar um pouco mais rápido. Já sabia que Trixie a ia chatear por os ter visto juntos, mas é claro que agora, devido ao que Finn tinha dito, ela ia ficar ainda mais chata e só a fazer perguntas, tentando descobrir tudo o que se tinha passado.

Assim que por fim chegaram à rua, Finn largou a mão dela. – Até logo. – diz em jeito de despedida e Jullie apenas revira os olhos.

Entra num táxi que estava já ali parado e segue para sua casa.

Finn revira os olhos depois, e suspira baixinho. Não sabe porque é que ela insiste em ser “má” para ele, quando ele nem tem feito nada de mal. Ok, se calhar não devia ter dito aquilo a Trixie, mas também, que mal tem isso? Jullie leva sempre as coisas demasiado a sério, como se não quisesse entrar nas brincadeiras dele. Ou então tem medo daquilo que lhe tinha dito na noite anterior, em relação à lista de conquistas dele. Ele não tinha uma lista para isso, é claro, mas entendia o que Jullie queria dizer com aquelas palavras. No entanto, ele tinha dito a verdade ao dizer que nunca a colocaria naquela lista. Ela era diferente de todas as outras raparigas, apesar de tudo. Finn nunca iria compará-la às outras. Ela era simplesmente diferente. Além disso, era a única que tentava resistir-lhe e isso só o fazia ter mais vontade de a ter. Sabia exactamente o que estava a acontecer com ele: estava a apaixonar-se por Jullie Gautier.

- Não Finn, não… - sussurrou para si próprio. Não podia deixar que isso acontecesse. O Finn nunca se apaixona, por ninguém…

O rapaz mandou parar um táxi e logo depois seguiu para sua casa. Não podia demorar muito, visto que neste momento já deveria era estar a trabalhar.

 

***

Jullie saiu do táxi e apressadamente entrou dentro de casa. Tinha passado a curta viagem toda, a pensar em Finn e no que se tinha passado na noite anterior. Não entendia o que se passava com ela para acabar sempre por se deixar levar por ele. Não conseguia resistir-lhe apesar de ele a irritar constantemente. Abanou a cabeça e suspirou baixinho, tentando evitar pensar naquelas coisas. Entrou no seu quarto e rapidamente se foi preparar para depois sair de casa mais uma vez.

 

***

A loira voltou para a empresa um pouco depois, e seguiu de imediato para o escritório de Trixie, visto esta lhe ter mandando umas poucas mensagens entretanto.

- O que queres? – perguntou assim que abriu a porta e entrou lá dentro.

Trixie levantou-se de imediato e sorriu muito. – Quero que me contes tudo Jullie, por favor! – pedinchou e puxou a amiga, para que esta se sentasse numa das cadeiras.

Jullie bufou para o ar e revirou os olhos. – Não há nada para contar.

- Há sim e tu nunca me queres contar nada. – a outra deixou um suspiro escapar por entre os lábios e fez um beicinho, tentando assim convencer a amiga a contar-lhe coisas.

Jullie revirou os olhos, uma vez mais, e então acabou por contar a Trixie tudo o que se tinha passado na noite anterior. Contou mesmo tudo, visto que a outra acabava sempre por insistir mais e mais.

- Ele está apaixonado por ti! – exclamou assim que por fim Jullie acabou de contar tudo.

- Cala-te com isso. – disse Jullie fazendo uma careta. – Não está nada, nem quero que esteja. – resmungou.

Trixie deu uma pequena gargalhada. – Ai isso é que queres. Até porque tu também já estás apaixonada. – riu-se e afastou-se de Jullie quando esta ameaçou bater-lhe. – Podias perguntar ao teu irmão. Afinal eles são os melhores amigos e de certeza que o Finn lhe conta estas coisas toda. – riu-se mais e mordeu o lábio, deixando de seguida o seu corpo cair sobre a sua cadeira. – Quem me dera que o Colin também estivesse assim apaixonado por mim, e me beijasse e…

- E pára de sonhar Trixie. – disse Jullie pondo-se direita na cadeira. – Quer dizer, é muito mais provável o meu irmão se apaixonar por ti do que o outro nojento por mim. – acrescentou com um encolher de ombros.

- Não é nada. Até porque ele já esta apaixonado por ti. Aposto.

- Não está nada. Pára de dizer essas coisas. – resmungou com cara de má. Aquilo só serviu para que Trixie se ri-se mais, no entanto acabou por não insistir mais naquele assunto. Sabia que tinha razão e um dia mais tarde, Jullie iria-se lembrar daquele momento, ela tinha a certeza disso.

7 comentários

Comentar post