Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

More than words.

More than words.

You're so bad {15}

*** Uma semana depois ***

Uma semana se passou, entretanto. Jullie tentava evitar Finn e esquecer o que se tinha passado entre os dois, mas era completamente impossível. O rapaz não saia do seu pensamento e ela tinha acabado por fazer o que Trixie lhe tinha dito, tinha falado com Colin sobre Finn. Claro que não lhe tinha dito nada demais, nem tinha falado nada demais, visto que a rapariga apenas lhe perguntou se Finn costumava falar dela. Colin, com um sorriso no rosto, tinha acabado por dizer simplesmente “cada vez fala mais.”. Aquelas palavras deixaram Jullie meio confusa e decidiu não perguntar nada mais.

 

Hoje era o dia em que se ia realizar um pequeno evento na Gautier Company. Empresários de outras empresas de outros países, vinham até esta empresa para verem os seus produtos e se ficassem interessados, começariam a vendê-los nos seus países. Era sempre um dia importante naquela empresa, visto que o seu negócio acabava sempre por se expandir, como Alexander queria. A sua empresa crescia de dia para dia e isso era muito importante para toda a família. Jullie dava por si a pensar na mãe nestes dias.

Tinha perdido a mãe, vítima de cancro, quando tinha apenas dez anos de idade. Tinha sido muito difícil ultrapassar esse momento menos feliz da vida de todos e ela sabia o quanto a mãe gostava daquela empresa e o quanto ela tinha feito por aquele lugar. Sabia que era não só devido ao pai que a empresa estava assim, mas também pela mãe. Era também esse um dos motivos pelo qual Jullie queria muito ajudar o pai naquele negócio, queria que a mãe sentisse orgulho na mulher em que ela se tinha tornado.

Jullie caminhou por entre as pessoas que se encontravam ali, cumprimentava umas, falava com outras e simplesmente sorria a umas poucas. Parou de repente quando Finn chegou à beira dela e deu por si a sorrir quando um sorriso apareceu por entre os lábios carnudos dele. Ele envergava um fato preto demasiado elegante e que o deixava com um ar ainda mais atraente do que o habitual. Os seus cabelos estavam meio despenteados como sempre e Jullie deu por si a suspirar baixinho.

Desde a noite em que se tinham encontrado no bar e tinham depois dormido no escritório dele, os dois tinham acabado por ficar um pouco mais próximos um do outro. As discussões continuavam a existir, é claro, mas agora aconteciam com menos frequência. Os beijos tinham voltado a repetir-se visto que era difícil tanto para um como para outro controlar essa parte.

- Viste o teu irmão? Precisava de falar com ele.

- Não. – Jullie olhou em volta. – Deve andar por aí.

Também não via Trixie, que devia também andar por aí. A amiga andava demasiado feliz, porque durante a semana, tinha encontrado Colin num pequeno bar da cidade. Tinham acabado por ficar os dois na conversa e apesar de não ter passado disso, Jullie conseguia perceber o quanto a amiga tinha ficado contente com aquele pequeno acontecimento. Talvez Jullie começasse a fazer algo para ajudar a amiga a conquistar o irmão. Adorava que os dois ficassem juntos, na verdade. Ficavam bem juntos.

- Que estás a fazer? – perguntou de repente, quando Finn lhe agarrou na mão e a começou a puxar para outro sítio.

O rapaz não lhe respondeu, e apenas parou de andar quando chegaram a um pequeno escritório. Ali o silêncio foi evidente, em comparação ao barulho que estava na outra divisão. O moreno virou-se na direcção dela e engoliu em seco enquanto fitava os azuis olhos dela, agora ligeiramente confusos.

- Eu não sei como é que vou dizer isto. – ele começa a falar sentindo-se ficar nervoso. Não era normal nele, ele não ficava nervoso com nada, ele não tinha medo de nada. Quer dizer, se calhar tinha. O ponto fraco dele tinha um nome: Jullie. – Jullie eu… eu não consigo parar de pensar em ti. Não consigo parar de ter vontade de te beijar. Até gosto quando discutimos porque sei como as discussões sempre acabam. – adorava o facto de que por mais que discutissem, isso acabava sempre com os dois aos beijos. Era essa a melhor parte daquelas discussões sem qualquer sentido. Ele continuou a olhar para ela, vendo-a demasiado silenciosa, coisa que nem era habitual nela. – Diz alguma coisa… nem que seja para implicares comigo e dizeres que me odeias, mesmo quando eu sei que isso não é verdade. Mas diz qualquer coisa, por favor…

Jullie engoliu em seco, sentia o seu coração a bater demasiado depressa e parecia que todas as palavras tinham desaparecido e ela nem sabia mesmo o que dizer. Não estava à espera que um rapaz como Finn, lhe dissesse aquelas coisas. Não estava à espera que um rapaz como ele a deixasse assim. Que um rapaz como ele, fizesse uma rapariga como ela ficar daquela maneira.

- Eu não sei o que dizer… - murmura ela, ainda com os olhos postos nele. – Se eu disser que… que sinto o mesmo que tu, tu acreditas em mim? – perguntou num tom de voz mais baixo do que o habitual e nesse mesmo instante, sentiu as suas bochechas ficarem mais quentes que o habitual. Ela acabou por abanar a cabeça, não dando sequer tempo a Finn de lhe responder. – É melhor voltarmos lá para dentro, esquece o que eu disse e esquece o que tu disseste. Acho que… acho que estamos a imaginar coisas que não existem. – ela suspirou e seguidamente começou a andar, de maneira a poder sair dali.

- Espera. – diz o rapaz fazendo-a parar e olhar para ele.

- O que foi? – pergunta Jullie com um leve suspiro.

- Eu tenho a certeza daquilo que disse. – Finn aproximou-se dela e segurou no seu rosto fazendo-a olhar para ele. – Tenho a certeza absoluta. – acrescentou e de seguida, beijou-a de uma maneira como nunca antes a tinha beijado.

 

Aqui está algo de que vocês estavam ansiosas que acontecesse! Espero que tenham gostado!

A história está prestes a terminar, espero que continuem a gostar.

Vou de férias, mas deixei os capítulos todos prontos para ser só postá-los, espero é conseguir fazê-lo. Durante a próxima semana, não poderei responder aos comentários mas irei ler todos eles!

Beijinhos

7 comentários

Comentar post